Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
23/08/2006 - 16h54

Quatro sanguessugas ficam de fora de indiciamento no STF

Publicidade

GABRIELA GUERREIRO
da Folha Online, em Brasília

A divulgação dos 27 novos parlamentares que foram denunciados pelo Ministério Público ao STF (Supremo Tribunal Federal) por envolvimento na máfia das ambulâncias mostrou que quatro dos 90 parlamentares investigados pela CPI dos Sanguessugas ficaram de fora tanto do pedido de cassação quanto do indiciamento no Supremo.

Os deputados Josias Quintal (PSB-RJ), Nilton Baiano (PP-ES), Paulo Magalhães (PFL-BA) e o ex-ministro da Saúde, Saraiva Felipe (PMDB-MG), saíram ilesos das investigações sobre a máfia dos sanguessugas até esse momento.

Já o deputado Cleuber Carneiro (PTB-MG) e a senadora Serys Slhessarenko (PT-MT) estão entre os 72 parlamentares que tiveram o pedido de cassação recomendados pela CPI, mas ficaram de fora do indiciamento no STF. Outros 14 deputados foram inocentados pela CPI por envolvimento na máfia das ambulâncias, mas serão indiciados pelo Supremo.

Confira abaixo a relação dos 14 deputados:

Feu Rosa (PP-ES)
Helenildo Ribeiro (PSDB-AL)
Gilberto Nascimento (PMDB-SP)
Teté Bezerra (PMDB-MT)
Mário Negromonte (PP-BA)
Zelinda Novaes (PFL-BA)
Ribamar Alves (PSB-MA)
Eduardo Gomes (PSDB-TO)
Gefferson Campos (PTB-SP)
Dr. Heleno (PSC-RJ)
Nélio Dias (PP-RN)
Benedito de Lira (PP-AL)
Fernando Estima (PPS-SP)
Itamar Serpa (PSDB-RJ)

Especial
  • Leia a cobertura completa sobre a máfia das ambulâncias
  • Enquete: você é a favor do fim do voto secreto na votação de cassação de mandatos parlamentares?
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página