Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
28/08/2006 - 17h55

Vedoin volta atrás e isenta novos deputados envolvidos com sanguessugas

Publicidade

GABRIELA GUERREIRO
da Folha Online, em Brasília

O advogado do empresário Luiz Antônio Vedoin, Otto Medeiros, encaminhou nesta segunda-feira à CPI dos Sanguessugas documento assinado pelo empresário, sócio da Planam, no qual ele isenta os deputados Ricardo Izar (PTB-SP), José Múcio (PTB-PE), Luiz Piauhilino (PSB-PE) e Ciro Nogueira (PP-PI) de qualquer participação na máfia das ambulâncias.

Em reportagem publicada pela revista "Época", Vedoin tinha incluído os nomes dos quatro deputados entre os parlamentares sanguessugas.

O presidente do Conselho de Ética da Câmara, Ricardo Izar, telefonou hoje para membros da CPI para informar sobre o documento. Izar disse à Folha Online que o advogado de Vedoin lhe telefonou esta tarde pedindo desculpas sobre o teor da entrevista.

"Quem leu a entrevista à revista viu que o Vedoin não disse nada a meu respeito. O advogado me disse que o próprio Vedoin está revoltado com essa reportagem, que ele conversou por alto com o repórter e não confirma essas informações", disse Izar.

O deputado afirmou que existe a intenção clara de pressioná-lo para desistir dos 68 processos de cassação contra deputados suspeitos de envolvimento na máfia dos sanguessugas. "Mas não adiante me pressionar porque não vou mudar o meu comportamento. Vamos é mostrar a pressão que estamos recebendo", afirmou.

Izar disse ainda que a suposta operadora da Planam, Cristianne Mayrink Sampaio, citada por Vedoin na reportagem como responsável por intermediar o contato entre os quatro deputados e o empresário, também lhe telefonou esta tarde para desfazer qualquer mal-entendido.

"Ela ligou para o meu gabinete para dizer que jamais teve qualquer contato comigo", afirmou o presidente do Conselho de Ética.

CPI

Amanhã, a CPI dos Sanguessugas vai discutir as denúncias sobre Ricardo Izar. O deputado Fernando Gabeira (PV-RJ), sub-relator da CPI, disse que o documento encaminhado por Vedoin é suficiente para que a comissão comprove a inocência de Izar nas denúncias.

"Não há em nenhum momento das investigações qualquer referência do Vedoin a Izar. Mas temos a necessidade de investigar essa denúncia, já que ela pode influenciar a segunda fase das investigações, que é justamente a punição dos culpados e a votação da PEC [Proposta de Emenda Constitucional] que acaba com o voto secreto nos processos de cassação", afirmou Gabeira.

Segundo o deputado, Izar "tem a total confiança da CPI" e terá condições de esclarecer à comissão as denúncias apresentadas por Vedoin. "Se foi tentativa de sabotagem, ele fracassou. E o presidente do Conselho de Ética sairá mais forte", encerrou Gabeira.

Especial
  • Leia a cobertura completa sobre a máfia das ambulâncias
  • Enquete: você é a favor do fim do voto secreto?
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página