Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
30/08/2006 - 13h58

Aldo pede para parlamentares fazerem "quórum" para receber delegação chinesa

Publicidade

GABRIELA GUERREIRO
da Folha Online, em Brasília

Com o Congresso Nacional vazio em período pré-eleitoral, o presidente da Câmara dos Deputados, Aldo Rebelo (PC do B-SP) teve que apelar para colegas presentes na Casa esta manhã para não receber sozinho uma delegação de parlamentares e empresários chineses que estão em visita oficial ao Brasil. Rebelo recorreu aos deputados Ciro Nogueira (PP-PI) e Antonio Carlos Biscaia (PT-RJ), que estão no Congresso dando prosseguimento às investigações da máfia das ambulâncias para que os chineses não estranhassem o esvaziamento do Congresso.

"Eles poderiam não entender que estamos em recesso branco. Eles estavam em pelo menos vinte. Por isso o presidente Aldo pediu para eu ficar aqui e fazer número", afirmou Biscaia.

Rebelo se reuniu por mais de uma hora com os empresários chineses. Depois, a delegação foi recebida pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). Os chineses conheceram os plenários da Câmara e do Senado, que estavam fechados e vazios, diante do recesso branco instalado na Câmara.

Além de Ciro Nogueira e Biscaia, o deputado Philemon Rodrigues (PTB-PB) também posou ao lado de Aldo Rebelo durante parte do encontro com os chineses para aumentar o quorum de parlamentares. Rodrigues foi incluído nesta terça-feira nas investigações da CPI dos Sanguessugas por suspeita de participação na máfia das ambulâncias.

A delegação dos chineses veio ao Brasil negociar acordos comerciais entre os dois países. Esta tarde, devem se encontrar com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva para a assinatura de acordos nas áreas de telefonia fixa, celular e aeronáutica. O líder da delegação é Wu Banggu, presidente da Assembléia Popular da China.

Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre recesso branco
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página