Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
05/09/2006 - 09h19

Lula fala do Bolsa-Família e Heloísa, dos sanguessugas; Alckmin critica petista

Publicidade

da Folha Online

Enquanto o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), candidato à reeleição, usou seu horário eleitoral de rádio nesta terça-feira para falar sobre o programa Bolsa-Família, a candidata do PSOL à Presidência, Heloísa Helena, falou sobre os sanguessugas e o tucano Geraldo Alckmin criticou o presidente.

Os apresentadores do programa do petista abriram a propaganda eleitoral afirmando que o governo Lula criou o Bolsa-Família, o maior programa de distribuição de renda do mundo.

O presidente afirmou que sabe que o Bolsa-Família não resolve todos os problemas, mas, segundo ele, enquanto não se arruma emprego para todos que precisam, o programa ajuda a combater a fome e a pobreza no país. "Meu governo vai continuar ajudando os mais pobres."

Lula ainda falou do avanço econômico e social de seu governo e ressaltou realizações de seu mandato, como o Luz para Todos, Brasil Sorridente e Merenda Escolar. O programa do candidato à reeleição terminou com uma música sertaneja, que falava, entre outras coisas, sobre o Bolsa-Família.

O tucano afirmou que o petista é o presidente do imposto cada vez maior, enquanto ele será o presidente do imposto cada vez menor. Segundo ele, os brasileiros nunca pagaram tantos impostos. "Enquanto isso, o desemprego sobe."

Alckmin também falou que ninguém agüenta mais ouvir tanta notícia de corrupção. "E o Lula do PT sempre dizendo a mesma coisa quando descobre a esperteza de seus companheiros: 'Eu não vi nada, não sei de nada, não é comigo'. Não podemos mais aceitar isso."

O candidato disse que vai trabalhar com planejamento e, por isso, vai colocar em prática o Plano Nacional de Desenvolvimento. "O povo sabe que o Brasil tem jeito e o jeito é Geraldo Alckmin presidente. Um homem simples, humilde e decente."

Heloísa Helena, por sua vez, falou sobre os sanguessugas --quadrilha desmontada pela Polícia Federal que fraudava a venda de ambulâncias para prefeituras de diversos Estados do país e era chefiada pela família Trevisan Vedoin, no Mato Grosso.

O programa da candidata mostrou um entrevista com um sanguessuga fictício. Na entrevista, ele diz que só tem medo de Heloísa, a única que pode acabar com esta mordomia. "Eleitor, contra sanguessuga, vote no coração valente do Brasil. Heloísa Helena presidente."

A candidata Ana Maria Rangel, do PRP, abriu seu programa afirmando que venceu, que a Justiça foi feita.

Ana Maria teve o registro impugnado pelo próprio partido e, por isso, havia sido excluída da propaganda. No entanto, recorreu ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral), que a mandou prosseguir com sua candidatura até que o processo seja finalizado.

Segundo ela, o Brasil precisa de cuidado e ser governado com realismo e oportunidades.

José Maria Eymael, do PSDC, criticou o presidente Lula e afirmou que o Brasil precisa de alguém com coragem e autoridade para acabar com a violência e a corrupção.

"É fácil ser valente com idosos e com os mais frágeis, como fez o atual presidente, obrigando os aposentados com mais de 90 anos a irem a postos do INSS [Instituto Nacional do Seguro Social] provar que estavam vivos. Eles não votam, mas merecem respeito."

Especial
  • Leia cobertura completa das eleições 2006
  • Enquete: o horário eleitoral muda ou não o seu voto?
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página