Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
14/09/2006 - 20h45

MPE de Mato Grosso pede indeferimento de candidaturas de Antero e Serys

Publicidade

JOÃO CARLOS MAGALHÃES
da Agência Folha

O Ministério Público Eleitoral de Mato Grosso entrou com recursos no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) pedindo o indeferimento das candidaturas ao governo do Estado dos senadores Antero Paes de Barros (PSDB) e Serys Slhessarenko (PT). Nota no site do órgão diz que existem "provas indiciárias que afastam a presunção de moralidade" contra os dois.

Ambos foram citados por Luiz Antonio Vedoin, um dos donos da empresa Planam, como participantes da máfia dos sanguessugas. Serys, que nega envolvimento, será julgada pelo Conselho de Ética do Senado. Antero foi inocentado na última terça-feira pelo deputado Fernando Gabeira (PV-RJ), que disse que não recomendará o ida do tucano ao conselho.

As duas candidaturas foram anteriormente aceitas pelo TRE (Tribunal Regional Eleitoral). A data limite para o julgamento dos recursos é dia 20 de setembro, segundo o MPE.

A assessoria de Antero afirmou que o recurso não tem base jurídica e que não existem provas contra o senador. Um dos coordenadores da campanha de Serys, Odinarte Borges, acredita que a ação do Ministério Público não terá sucesso.

O MPE também tentará o indeferimento das candidaturas de Carlos Bezerra (PMDB), Pedro Henry (PP), Ricarte de Freitas (PTB), Celcita Pinheiro (PFL) e Wellington Fagundes (PL), postulantes a uma cadeira na Câmara Federal.

Todos também foram citados ou investigados como beneficiários do esquema de compras de ambulâncias com emendas do orçamento. Eles negam participação. Para o MPE, existem contra eles "provas que demonstram inaptidão moral para exercício de mandato".

A tese do procurador regional eleitoral substituto Luís Eduardo Marrocos Araújo, que assina os recursos, é que "se aplica aos candidatos a cargos dos Poderes Legislativo e Executivo o [mesmo] procedimento de investigação moral aplicável a candidatos a cargos do Poder Judiciário". A Folha procurou Araújo, mas sua assessoria disse que ele não fala sobre o caso.

Especial
  • Leia cobertura completa das eleições 2006
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página