Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
19/02/2007 - 13h12

Ver muita televisão pode causar obesidade e diabetes, diz estudo

Publicidade

da Efe, em Londres

Ver muita televisão pode provocar graves problemas de saúde nas crianças, como obesidade, diabetes, autismo e puberdade precoce nas meninas, afirma um estudo publicado na revista britânica "Biologist".

A pesquisa, realizada a partir da análise de 35 estudos científicos anteriores, identifica 15 efeitos negativos que a televisão pode causar em crianças.

O diretor do estudo e membro do Instituto de Biologia do Reino Unido, Aric Sigman, alerta que os perigos decorrentes de uma grande exposição à TV são tantos que esta "deveria ser proibida" para as crianças com menos de três anos.

Além disso, Sigman acredita que é preciso "restringir severamente" a televisão mesmo quando os menores crescem, pois o simples ato de olhar para tela, independentemente do conteúdo exibido, pode fazer mal à saúde.

Segundo a pesquisa, as crianças de seis anos do Reino Unido já desperdiçaram, em média, um ano inteiro de suas vidas diante da telinha. "Permitir que as crianças continuem vendo tanta televisão demonstra uma falta de responsabilidade por parte dos pais", afirma Sigman.

O especialista diz que uma exposição excessiva à TV pode causar miopia, dois tipos de diabetes diferentes, transtornos de sono e câncer.

A pesquisa alerta que ver televisão suprime a produção de melatonina, um hormônio que desenvolve funções relacionadas ao sistema imunológico, ao ciclo do sonho e ao início da puberdade.

Segundo estudos anteriores, as meninas atingem a puberdade "muito mais cedo" do que em 1950, porque atualmente pesam mais do que naquela época. Sigman também afirmou que, "provavelmente", a redução dos níveis de melatonina causada por assistir a muita televisão também influencia.

"Seremos, em última instância, os responsáveis pelo maior escândalo de saúde de nosso tempo", alerta Sigman, que diz que cada hora de televisão em excesso entre os 20 e os 60 anos aumenta o risco de desenvolver Alzheimer.

Leia mais
  • TV tem efeito analgésico em crianças
  • Propagandas na TV afetam nutrição das crianças, diz estudo
  • TV influencia comportamento sexual de adolescentes, diz estudo
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página