Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
05/04/2001 - 08h00

Campanha para economia de energia sai depois da Páscoa

Publicidade

da Folha de S.Paulo, em Brasília

O governo lança após o feriado da Semana Santa -provavelmente no dia 15- campanha publicitária para incentivar a redução do consumo de energia elétrica. A campanha terá anúncios em rádio, TV e jornal e palestras em escolas.

De acordo com o deputado federal José Carlos Aleluia (PFL-BA), que esteve ontem com o ministro José Jorge (Minas e Energia) para tratar da campanha, parte do foco será o público jovem. Aleluia acredita que, com a campanha, seja possível reduzir o consumo de 4% a 5%.

Hoje, o governo federal se reúne com secretários de Energia dos Estados para buscar apoio e sugestões para o plano de racionalização do uso de energia elétrica. Dependendo do resultado da reunião, o plano poderá ser anunciado hoje. O objetivo do plano é reduzir o consumo em 10%.

Além da campanha publicitária para redução do consumo de energia, o governo irá editar medida prevendo punições para os gestores públicos que não economizarem energia.

O plano vai contar com a colaboração de grandes setores da indústria, que já estiveram reunidos com a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica). Os fabricantes de ligas de ferro, por exemplo, já disseram que podem cortar parte do consumo.

Parte do objetivo do plano é aumentar a capacidade de geração. Para isso, o governo poderá, entre outras medidas, importar 400 megawatts de energia do Paraguai, aumentar a produção da usina de Porto Primavera (SP) em 340 megawatts, aumentar a geração da usina de Ilha Solteira (SP), aumentar a geração de Itaipu, incentivar as indústrias que têm geração própria de energia a produzir mais e aumentar a geração da termelétrica de Cuiabá (MS).

O secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia, Luiz Gonzaga Perazzo, disse que o racionamento será adotado caso o programa de racionalização não dê resultado.

  • Leia mais no especial sobre a Crise Energética
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página