Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
11/10/2003 - 07h32

Faculdade de Medicina reabre centro acadêmico

Publicidade

da Folha de S.Paulo

Uma das alas renovadas durante a reforma da Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo), o Centro Acadêmico Oswaldo Cruz será reinaugurado no dia 24. O Caoc ficou fechado por três anos por causa de um incêndio que destruiu o local.

No dia da cerimônia são esperados ex-alunos famosos --como Adib Jatene, cardiologista, Drauzio Varella, oncologista-- e profissionais que se afastaram da instituição.

"Isso é algo novo em nossa cultura, trazer os antigos alunos de volta para a escola", afirma Giovanni Guido Cerri, 50, diretor da faculdade.

Além de reaproximar os alunos, a diretoria pedirá a eles que se engajem na campanha pela arrecadação de recursos para a restauração da faculdade. O projeto, orçado em R$ 35 milhões, é considerado pela direção o maior em andamento no país.

São necessários ainda cerca de R$ 15 milhões para a conclusão da reforma. Até agora, a maior parte dos recursos veio da iniciativa privada. Nomes dos doadores serão grafados em placas da obra.

Reforma

A sala da congregação da faculdade já foi toda reformada e R$ 10 milhões foram gastos na reforma do setor em que ficará a parte de hidráulica e ventilação da escola. Uma área foi construída no subsolo para abrigar os serviços.

Ainda falta recuperar a fachada, os saguões, as escadarias de mármore italiano e o teatro de 250 lugares do prédio da década de 30, projetado pelo escritório do arquiteto Ramos de Azevedo e localizado na avenida Dr. Arnaldo (zona oeste da capital).

O projeto contempla a ordenação da circulação e do estacionamento de carros, aumentando os espaços para lazer e convívio dos usuários. A idéia é entregar o conjunto no próximo ano, durante o aniversário de 450 anos da cidade de São Paulo.

Já foram expedidos 15 mil convites para médicos registrados no Conselho Regional de Medicina, diz Cerri. Mas a diretoria continua a "busca". Estima que existam mais de 20 mil médicos formados pela escola no país.

Durante o evento, o projeto de restauro será apresentado e os estudantes poderão conhecer 4 mil m2 do novo centro acadêmico. A área tem espaço de convivência, jardim interno, centros cultural e de informática e ganhará lojas e um restaurante. Foram gastos cerca de R$ 5 milhões nesta parte da obra.

Iluminação especial

A fachada da faculdade ganhará uma iluminação especial no próximo ano, de acordo com Cerri. E será emoldurada por um bulevar de ipês roxos, prevê o projeto. Ele ainda afirma que as áreas externas dos 62 laboratórios também serão recuperadas.

Para a diretoria, a modernização da faculdade é fundamental para dinamizar as atividades de pesquisa e investigação.

A Faculdade de Medicina e Cirurgia de São Paulo foi fundada em 1913, ocupando prédios em diversos locais. As aulas práticas inicialmente ocorriam na Santa Casa. Até que o conjunto da Dr. Arnaldo foi inaugurado.

Em 1934, a escola passou a integrar a USP e, em 1944, foi aberto o Hospital das Clínicas, o hospital universitário da faculdade. A escola tem hoje 1.500 alunos na graduação.

Os ex-alunos interessados em participar da reinauguração, às 19h do próximo dia 24, devem ligar para a diretoria da faculdade: 0/xx/11-3062-2355
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página