Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
09/08/2005 - 09h52

Curso da Unicamp formará "escritor profissional"

Publicidade

ALEXANDRE NOBESCHI
da Folha de S.Paulo

"Fui estudar direito porque os escritores estudavam direito, muitos." O escritor e jornalista Otto Lara Resende (1922-1992) explicava assim o percurso que traçou até o mundo das letras.

Hoje, um aspirante a escritor tem a opção de fazer uma graduação que o prepare para o ofício. Em 2006, 20 estudantes integrarão a primeira turma de bacharelado em estudos literários do país. O curso será ministrado na Unicamp (Universidade Estadual de Campinas).

No entanto o candidato que ingressar no curso não vai se tornar, obrigatoriamente, um escritor. De acordo com o coordenador do curso, Leonardo Affonso de Miranda Pereira, o bacharel poderá atuar tanto na área acadêmica quanto na produção cultural.

"Não se trata, necessariamente, de formar escritores profissionais. O que o novo bacharelado oferece é uma formação sólida na área de estudos literários, a partir da qual os formados podem desenvolver seu talento em diferentes áreas de atuação, que vão da pesquisa à criação", explica.

Segundo Pereira, outros campos, como a crítica literária, a mídia impressa e a eletrônica, a publicidade e a produção de roteiros para obras audiovisuais estão no foco desse profissional.

O que será estudado

Para chegar até a atuação profissional, porém, os universitários terão de se dedicar muito à literatura, principalmente brasileira e portuguesa.

Pereira afirma que o curso está formulado em quatro séries de disciplinas. A primeira aborda os gêneros textuais, como a prosa ficcional, o teatro, a poesia e a crítica. Na segunda, de caráter mais prático, os estudantes farão diversas pesquisas nas diferentes áreas dos estudos literários.

A literatura brasileira será analisada na terceira parte e, por último, o aluno vai se ater às questões da teoria e da história da literatura. Nessa parte também será estudada literatura estrangeira. "Além dessas séries, o currículo incorpora duas disciplinas que tratarão especificamente da literatura clássica", afirma o coordenador.

Foi esse aprofundamento nas questões literárias que despertou o interesse de Luis Fernando de Carvalho Rabello, 17. A vontade de integrar a primeira turma do curso é tanta que Luis criou até uma comunidade no Orkut --site de relacionamentos-- com o nome da graduação.

Admirador de Guimarães Rosa, Carlos Drummond de Andrade e Fernando Pessoa, Luis afirma que a vontade de ampliar o que está aprendendo no ensino médio o levou a escolher o curso. "Meu interesse por literatura surgiu no primeiro ano do ensino médio. Mas quero saber mais sobre a história da literatura."

Além da inclinação pela teoria, ele afirma querer trabalhar com elaboração de roteiros, principalmente com os de filmes.

A escolha do curso, segundo ele, preocupou seus pais. "Eles ficaram meio receosos. Querem saber onde é que vou trabalhar."

Leonardo Pereira, por outro lado, afirma que no mercado há diversas possibilidades de atuação. "Dada a sua formação ao mesmo tempo especializada e generalista, o graduado poderá atuar como produtor textual, editor, revisor, assessor ou consultor técnico, além dos limites entre as artes e as ciências humanas."

Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre a Unicamp
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página