Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
23/03/2001 - 14h09

"A Grande Família" volta à Globo dia 29

Publicidade

da Folha Online

Depois de mais de 20 anos fora do ar, o seriado "A Grande Família" volta à porogramação da Globo na próxima quinta-feira, dia 29. O seriado, que será exibido sempre às quintas-feiras, depois do programa "Linha Direta", terá 30 minutos de duração e direção geral de Mauro Mendonça Filho. No elenco estão Marco Nanini, Marieta Severo, Pedro Cardoso, Rogério Cardoso, Lúcio Mauro Filho e Guta Stresser - estreando em TV.

Divulgação

Marco Nanini e Marieta Severo
fazem parte do elenco do seriado
Inspirada na série homônima que a Globo levou ao ar na década de 70 - escrita por Oduvaldo Vianna Filho, Armando Costa e Paulo Pontes e dirigida por Paulo Afonso Grisolli -, a nova versão da "A Grande Família" retoma os conflitos éticos, as relações familiares e os problemas financeiros e afetivos de uma família de classe média.

Ao contrário da família da primeira versão - que morava em São Paulo -, esta nova família não tem uma identidade regional específica, podendo estar em qualquer grande capital do Brasil. A outra novidade é a exclusão de um dos personagens do antigo programa, o filho politizado Júnior (interpretado por Osmar Prado na primeira versão). Segundo a direção do programa, a decisão foi tomada porque a função do personagem Junior já estaria sendo bem cumprida por Lineu, o pai da família.

A família é composta por Lineu (Marco Nanini), veterinário casado com Nenê (Marieta Severo). Ele sustenta os dois filhos, Bebel (Guta Stresser) e Tuco (Lúcio Mauro Filho), o genro Agostinho (Pedro Cardoso) e ainda abriga o sogro, "Seu" Flor (Rogério Cardoso), que dorme no sofá da sala.

Como na versão original, a série enfoca questões como desemprego, falta de dinheiro e corrupção, mostrando o cotidiano de uma família que vive mergulhada na luta pela sobrevivência, mas que tem jogo de cintura para superar as dificuldades e permanecer unida.

Em um dos episódios da nova edição, por exemplo, Nenê se sente rejeitada pelo marido e questiona seu papel de dona de casa. Para não ser tratada como uma geladeira - como acredita ser -, ela procura despertar novamente o amor do marido. Em outro episódio, a família é sacudida pela notícia da promoção de Lineu, mas os sonhos de ascensão social acabam quando Lineu recusa uma oferta de suborno e a promoção é revogada: ele pensa em pedir demissão, mas decide continuar lutando por seus ideais.

Produção

Para criar um retrato fiel das relações familiares de uma típica família de classe média no Brasil, a direção do programa teve a consultoria da antropóloga Patrícia Guimarães. A antropóloga visitou várias famílias do bairro de Realengo, na zona norte do Rio, escolhido por apresentar características que se encaixam no que a equipe procurava.

O diretor e outros integrantes da equipe também visitaram várias famílias para compreender melhor o universo da classe média achatada, porém consumista e solidária. O resultado do trabalho foi apresentado em vídeo e texto para o elenco e o restante da equipe.

A casa de 120 metros quadrados montada no teatro Fênix tem três quartos, um banheiro, uma cozinha com copa integrada, uma varanda e uma garagem para abrigar a Belina 1972 de Lineu. A casa tem também uma passagem para o quintal, que, assim como a varanda, faz a transição do estúdio para a área externa, gravada no bairro da Freguesia, onde a equipe encontrou uma casa de 1960 para servir de locação.

Assim como a cenografia, as equipes de figurino, produção de arte e caracterização buscaram muitas referências em locais freqüentados pela classe média retratada no programa, como o bairro de Madureira, localizado na zona norte do Rio, e a área comercial conhecida como Saara, situada no centro da cidade, além de lojas populares.

Leia também:

  • Conheça os personagens do seriado "A Grande Família"
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página