Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
15/06/2001 - 04h00

Festival Circadélica celebra a cultura independente

Publicidade

JEAN CANUTO
da Folha de S.Paulo

As forças do rock independente mostraram a cara novamente. Em arena montada em Sorocaba, aconteceu nos dias 9 e 10 deste mês a primeira edição do festival Circadélica, evento que abrigou ao todo 21 grupos alternativos que seguem se destacando no underground nacional em dois dias de verdadeira maratona roqueira.

Cerca de 2.000 pessoas por dia, segundo a organização do evento, prestigiaram uma verdadeira celebração à cultura independente. Além dos shows, as barracas de selos independentes e demais produtos do underground fizeram a alegria dos indies.

Houve ainda um apêndice do festival, o Circo 2, realizado no dia 9, que levou mais alguns grupos a se apresentarem em um local próximo da arena principal, invadindo a madrugada com muita barulheira.

A entrada do evento foi a simbólica contribuição de 1 kg de alimento não perecível -exceto a do Circo 2, que custava R$ 3- arrecadados para doação a instituições beneficentes.

CD e vídeo
Produzido por uma trupe local denominada Goo Goo Gang, da qual fazem parte integrantes de alguma bandas sorocabanas, "o Circadélica veio para mostrar que é possível montar festivais de rock de médio porte em um país no qual predominam o samba e o pagode", explicou Mário Bross, organizador da festa, vocalista e guitarrista do Wry, à Folha.

Da barulheira produzida pelo festival -que contou com a ajuda institucional da Prefeitura Municipal de Sorocaba por intermédio da Lei de Incentivo à Cultura- deverão ser lançados em breve um CD e um vídeo, ambos gravados ao vivo com material extraído das apresentações.

Performances
Os shows, é claro, foram o ponto alto do Circadélica. Variados estilos apareceram em performances inspiradas das bandas, muitas delas já conceituadas junto ao público indie, como o Thee Butchers" Orchestra, que apresentou músicas de seu disco novo.

Os grandes destaques do evento -que levantaram literalmente a poeira da arena- foram os grupos Maguerbes e Prole, de Americana (SP), o próprio Wry e o Biggs, ambos de Sorocaba.

O festival trouxe ainda a notícia de uma perda considerável para a cena de rock independente do país. O veterano grupo paulistano Pin Ups, que estava escalado para se apresentar no festival, informou, de última hora, o cancelamento do show por ter decidido encerrar suas atividades.
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página