Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
07/04/2002 - 08h56

"Marisol" estréia terça-feira no SBT

Publicidade

PALOMA VARÓN
da Folha de S.Paulo

No rastro do sucesso dos atores Bárbara Paz e Alexandre Frota na primeira edição do "reality show" "Casa dos Artistas", estréia terça-feira no SBT, às 20h15, a novela "Marisol", em que ela é a mocinha e ele, o vilão.

A história de Marisol, uma moça que sofre bastante, se parece com a vida da atriz que a interpreta. "Eu praticamente já passei por tudo o que a Marisol passa no início da novela", conta Bárbara. Ela diz que a personagem, como ela, é uma sobrevivente. "Com isso, fica muito mais fácil buscar as emoções de que preciso em cena."

A atriz diz estar recebendo a ajuda de colegas mais experientes em TV, como Frota, para aprender a lidar com as câmeras. "Ele tem me dado vários toques, pois tem uma vivência em televisão que eu não tenho."

Alexandre Frota diz que está sendo muito bom trabalhar com a atriz, com quem conviveu por dois meses no "reality show" do SBT. Ele conta que recebeu o convite para interpretar o vilão da história diretamente de Silvio Santos, logo após deixar a "Casa dos Artistas". "Ele (Sílvio) me perguntou que personagem eu queria fazer na novela, e optei pelo vigarista, que transita por todos os núcleos", afirma. Sobre a nova versão da "Casa", Frota é crítico : "Faltam intriga e romance. Se o Lulo tentou ser o Frota, ele foi um genérico que deu errado", ataca.

Além de Bárbara e Frota, "Marisol" tem a trilha de abertura interpretada por Patrícia Coelho, também ex-participante da "Casa". O diretor-geral de teledramaturgia da emissora, David Grinberg, não descarta a participação de outros artistas que integraram o "reality show": "Quase todos eles fizeram testes e podem aparecer", diz, referindo-se a Núbia Ólive e Mari Alexandre.

Na trama, Marisol é uma moça simples e pobre que vende flores de papel e namora Mário, um mau caráter interpretado por Frota. Por achar que ninguém mais iria querer namorá-la, devido a uma cicatriz no rosto que ela adquiriu ao cair com um espelho quando criança (Bárbara também tem uma), Marisol aceita o mau-caratismo de Mário.

Como em todas as novelas do gênero, a mocinha pobre é herdeira de uma grande fortuna e, no fim, vai conquistar um amor verdadeiro, o de Rodrigo, interpretado pelo ex-modelo Carlos Casagrande.

A personagem-título passará por algumas transformações ao longo da trama, que começa em 1984 e tem uma segunda fase em 2002. "Marisol vai sofrer várias mudanças e volta morena na segunda parte", conta Bárbara, que adiou projetos no teatro e está se dedicando inteiramente à sua primeira protagonista na TV. "Tio Silvio me deu um presentão."

A novela é a terceira a ser exibida pelo SBT dentro do acordo de cinco anos com a rede mexicana Televisa e vem substituir "Pícara Sonhadora" e "Amor e Ódio". Com esse acordo, a emissora brasileira exibe as tramas escritas (e já veiculadas) pela Televisa com produção e atores nacionais. O negócio possibilitou a reativação do núcleo de teledramaturgia do SBT, no ano passado.

A emissora já tem duas novelas em fase de tradução e pré-produção. São elas: "Canaviais da Paixão" e "Pequena Travessa". Grinberg não descarta a criação de um novo horário de exibição para as produções do núcleo. "Talvez uma delas passe no horário que precede a entrada de "Marisol'", afirma.

"Marisol" foi escrita pela cubana Inés Rodena, autora de "Marimar", "Maria do Bairro" e "A Usurpadora", já exibidas pelo SBT.
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página