Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
21/10/2002 - 13h40

David Lynch nega participação de modelo brasileiro em filme

AUGUSTO PINHEIRO
free-lance para a Folha

A história do modelo brasileiro Pedro Andrade, 23, que afirma ser protagonista do próximo filme de David Lynch, 56, virou ela mesma uma trama lynchiana.

Pedro frequentou, nas últimas semanas, as páginas de grandes jornais, inclusive da Folha (no Folhateen de 7/10), e revistas do Brasil detalhando sua experiência.

Em filmes como "Veludo Azul", "A Estrada Perdida" e "Cidade dos Sonhos", o diretor ficou famoso ao contar histórias que parecem quebra-cabeças, com muitos becos sem saída e personagens que mudam de identidade sem deixar pistas.

Amparado por uma assessoria de imprensa no Brasil, Pedro, que mora em Nova York e é modelo da agência Marilyn, contou detalhes sobre sua seleção para um filme de Lynch, segundo ele intitulado "Our Lady of Sorrow", a preparação, os métodos de Lynch e as filmagens com as atrizes americanas Kirsten Dunst e Gloria Stuart.

Na segunda-feira passada, veio a primeira reviravolta: a produtora do diretor Beto Brant negou a existência de um filme que Pedro afirmava que seria seu próximo trabalho. "O Beto não vai fazer nenhum filme chamado "Mísseis para o Rio". E não conhecemos o Pedro", diz Renato Ciasca, sócio de Brant na produtora Drama Filmes.

Pedro alega que a confirmação do papel havia sido passada para ele por sua assessoria. "Foi inocência minha, inexperiência. Fui vítima ou houve um mal-entendido."

Já a empresa carioca LG, responsável pela assessoria do modelo, explica que o que havia era um roteiro de um filme chamado "Mísseis para o Rio", com "possível" direção de Beto Brant. "Infelizmente, o Pedro se equivocou", argumenta o assessor Marcelo Pivva.

A reportagem da Folha deu telefonemas para os escritórios do agente e do advogado de Lynch, em Los Angeles (EUA), para se certificar das declarações do modelo.

A secretária de Rick Nicita, agente de Lynch, que se identificou apenas como Heather, disse que o filme nem existe. "Um assistente do sr. Lynch disse que eles já haviam escutado esse boato. Esse homem (Pedro) espalhou o boato."

Já Karen, que não revelou seu sobrenome, secretária de Tom Hansen, advogado de Lynch, afirmou: "Lynch disse: 'O boato é falso'".

Confrontado com as informações, Pedro continuou afirmando a participação no filme. "Existem problemas de direitos autorais por trás dessa produção. Acredito que, por isso, eles não queiram falar nada. O autor do roteiro está entrando com uma ação na Justiça contra a produção", diz Pedro.

Ainda segundo o modelo, a produção do filme está "com raiva" dele por ter divulgado o filme sem autorização. "Eles não vão se importar se eu sair como mentiroso."

A partir de buscas na internet, a reportagem localizou o produtor de um filme independente nova-iorquino chamado "também" "Our Lady of Sorrow", que ainda não começou a ser rodado.

Mais uma surpresa: o produtor, Parker Cross, diz que Pedro Andrade fez um teste para esse filme há um ano e que não foi aprovado. O teste foi para o papel de Tim, personagem que Pedro diz ter interpretado no filme de Lynch.

Há uma grande semelhança entre o resumo do roteiro no site e o enredo do "filme de Lynch" descrito por Pedro. Em ambos, o personagem Tim vive em um trailer e há um mistério em torno do desaparecimento de uma mulher.

Segundo Cross, o filme não tem relação com David Lynch. Indagado sobre um possível processo movido pelos autores do roteiro, Kevin Kölsch e Dennis Widmyer, contra Lynch, Cross foi categórico: "Não é verdade".

Pedro não foi encontrado para comentar essas afirmações. Ele disse, na última vez em que falou à Folha, na quarta-feira, que viajaria para gravar um comercial. Foi deixada uma mensagem na caixa postal do seu celular.


 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página