Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
08/12/2006 - 00h00

De Allen a Lovefoxxx, 2006 é o ano das mulheres na música

Publicidade

THIAGO NEY
da Folha de S.Paulo

Este 2006 foi o ano do aparecimento do Arctic Monkeys, do estouro de "Crazy", o hit do Gnarls Barkley, de um novo disco do Morrissey, dos Stones lotando Copacabana... Mas foi, principalmente, um ano pop comandado por mulheres. Uma boa indicação é a polêmica lista das personalidades "mais cool" divulgada pelo "NME" dias atrás.

O semanário britânico, conhecido não pelo pendor feminista, mas por dar espaço a artistas e bandas como Oasis, Libertines, Strokes, Smiths e outros marmanjos, colocou nas dez primeiras posições cinco mulheres --entre elas, a estilosa Kate Jackson, líder da banda Long Blondes, que lançou um dos melhores discos do ano.

Ana Ottoni/Folha Imagem
Lovefoxxx, do Cansei de Ser Sexy, está na 10ª posição entre os mais descolados
Lovefoxxx, do Cansei de Ser Sexy, está na 10ª posição entre os mais descolados

Esta última edição, a quinta, é a primeira em que o topo da lista não é ocupado por homem. A pessoa mais descolada do pop, segundo a publicação, é a norte-americana Beth Ditto, vocalista da elogiada banda Gossip e assumidamente gorda, lésbica e feminista.

Outra que associou seu nome a 2006 é a espevitada Lily Allen. Com apenas 21 anos, lançou um dos grandes discos do ano, "Alright, Still", cheio de músicas espertas com letras que retratam o cotidiano de Allen -"Smile" é uma cutucada no ex-namorado que transava com outra; "Friday Night" narra uma noite num clube; "Alfie" é para o irmão que vive vendo TV e fumando maconha...

Allen era desconhecida até o ano passado. No final de 2005, criou uma página no My Space (www.myspace.com/lilymusic) e rapidamente suas canções (e as aventuras pessoais que ela escancarava no blog do site) passaram a chamar a atenção de fãs e mais fãs, na base do boca-a-boca. Em maio, o inglês "Observer" fez um enorme perfil da moça. E, em agosto, era a vez de o "New York Times" dissecar o fenômeno Lily Allen.

Divulgação
A bocuda inglesa Lily Allen está entre a mais "cool' do mundo
A bocuda inglesa Lily Allen está entre a mais "cool' do mundo

Além da música, um refrescante pop de tempero reggae e ska, Allen é conhecida pela língua afiada. Já meteu a boca em Madonna, nas novas bandas indies de garotos, em Paris Hilton, e até no próprio "NME", que a posicionou como a terceira "mais cool" do planeta --Lily ficou brava porque a publicação preferiu dar a capa de uma edição ao trio Muse.

Barraqueira

Este 2006 também foi de Amy Winehouse. Aos 23 anos, a cantora tem uma voz soul poderosa e espírito barraqueiro.

Suas canções ganharam a crítica e seu comportamento, as páginas dos tablóides britânicos. Segundo a imprensa de seu país, Winehouse é vista dia sim, dia não, trançando as pernas na porta de pubs londrinos.

Divulgação
Beth Ditto, a vocalista do grupo Gossip, é gorda, lésbica e feminista
Beth Ditto, a vocalista do grupo Gossip, é gorda, lésbica e feminista

Ela, que já sofreu de anorexia e bulimia, aproveitou uma premiação da revista britânica "Q" para irritar Bono. Quando o vocalista do U2 fazia seu discurso politicamente corrreto no palco, ela gritou da platéia: "Cala a boca! Não dou a mínima!".

Winehouse tem tatuagens de pin-ups espalhadas pelo corpo e chegou a dizer ao "Sun": "Não sou lésbica --pelo menos não antes de tomar um Sambuca". "Back to Black", o segundo álbum, lançado em outubro, traz "Rehab", dos melhores singles de 2006. A canção narra sua recusa em procurar um centro de reabilitação. A idéia de interná-la era de seu empresário. Ela, então, trocou de empresário.

Meio desaparecida dos discos, das rádios e dos jornais, na reta de chegada, Britney Spears ganhou um belo lugar entre os destaques de 2006.

Spears estava (mais ou menos) quietinha desde o casamento com Kevin Federline, dançarino e celebridade Z de Los Angeles, em 2004. O casal teve dois filhos. Há pouco, ela largou Federline. Na semana passada, saiu com Paris Hilton e Lindsay Lohan e foi fotografada sem calcinha. Tornou-se a recordista em busca no site Yahoo! neste ano.

Bem mais comportada, Joanna Newsom ganhou 2006 devido ao ótimo "Ys". O álbum, lançado apenas no exterior, é construído em cima de harpa e de melodias que lembram o velho folk norte-americano. "Ys" fez de Newsom estrela pop.

Brasil

Do Brasil, mas acontecendo não apenas aqui, vem o Cansei de Ser Sexy, a banda brasileira mais falada no exterior desde... desde há muito tempo.

A banda tem um menino e cinco meninas e uma delas, a vocalista Lovefoxxx, está entre as dez personalidades mais cool segundo a lista do "NME".

Lovefoxxx está em todas: nas revistas de comportamento, nos jornais britânicos e fazendo show no Wembley Arena.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página