Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
05/04/2005 - 17h46

Servidores federais do setor da cultura entram em greve no Rio

Publicidade

GUILHERME GORGULHO
da Folha Online

Os servidores federais da cultura do Rio de Janeiro decidiram paralisar por tempo indeterminado suas atividades no Estado desde ontem. Segundo o Sintrasef (Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Federal - RJ), o movimento já atinge 80% dos funcionários do setor.

Entre as principais reivindicações estão o estabelecimento de um plano de carreira, a definição de uma tabela salarial emergencial --elevando os salários da categoria--, a realização concursos públicos e o aumento das verbas para o Ministério da Cultura.

A categoria alega que o MinC terceirizou muitos dos serviços em museus e superintendências regionais, prejudicando a qualidade das atividades em razão da grande rotatividade da mão-de-obra.

"No Rio de Janeiro, estão paradas quase todas as unidades. Algumas pararam ontem, outras estão parando hoje e outras vão parar amanhã. Está havendo uma entrada gradual [no movimento grevista]", afirmou Paulo César Azevedo Ribeiro, vice-presidente da Associação dos Servidores do Patrimônio Histórico e Artístico (Asphan), ligada ao Sintrasef.

Entre as instituições que já estão paradas estão Museu da República, Museu Nacional de Belas Artes, Biblioteca Nacional, Museu Histórico Nacional, Paço Imperial e Palácio Gustavo Capanema, segundo o Sintrasef.

Procurado pela Folha Online, o Ministério da Cultura informou que ainda não tem os números oficiais da paralisação.

"As negociações prosseguem. Todas as reivindicações foram encaminhadas para o Ministério do Planejamento, como o plano de carreira, e o ministro [Gilberto Gil] continua aguardando. Ele teria uma reunião com o presidente [Luiz Inácio Lula da Silva] ontem, mas não teve", afirmou Luiz Artur Toríbio, assessor de comunicação do Ministério da Cultura.

Em São Paulo, funcionários do Museu Lasar Segall e da Cinemateca Brasileira vão definir suas posições até o fim desta semana. Outros Estados como Pernambuco, Minas Gerais e Bahia também já estão em greve.

O país tem aproximadamente 4.500 servidores federais do setor da cultura, sendo que mil estão no Rio.

Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre greve de servidores
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página