Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
29/09/2005 - 20h01

Museu do Louvre abre mostra de arte brasileira

Publicidade

da France Presse, em Paris

Exposições, conferências, recitais, exibições de filmes, leitura de contos. O Museu do Louvre inaugura, nesta quinta-feira, sua temporada brasileira: uma retrospectiva da arte brasileira de ontem e de hoje. A mostra estará em cartaz até 18 de dezembro

Organizada por ocasião do Ano do Brasil na França e em torno de dois eventos principais, a exposição de pinturas do Brasil do holandês Frans Post (1612-1680) e a instalação da Pirâmide do Museu da obra do escultor brasileiro Tunga, esta "temporada brasileira" do Louvre quer ser "uma ampla exploração dos rostos artísticos do Brasil, de hoje e de outrora".

O evento inclui a exposição "Frans Post, Brasil na corte de Luís XIV" (29 de setembro a 2 de janeiro), do pintor holandês Frans Post, que retratou o Brasil entre 1638 e 1640, fazendo das obras os primeiros quadros que um europeu já fez do Novo Mundo.

Dezoito destes quadros, além de outros pintados em sua volta à Holanda, foram presenteados ao francês Luís XIV, em 1679, por Maurício de Nassau, que foi governador dos então territórios holandeses no Brasil.

Oito destes quadros pertencem ao Museu do Louvre e são o ponto central da exposição. Apenas outras quatro telas do conjunto foram identificadas, mas sabe-se da existência de outras por gravuras e reproduções, que se incluem também na exposição. Trata-se de paisagens da região de Pernambuco, que esteve sob domínio holandês até 1654.

"A exposição revela a extraordinária aventura do primeiro artista europeu a atravessar o Atlântico para pintar o continente americano, e seus quadros inauguram a representação de uma natureza que a Europa apenas começava a descobrir", destaca Pedro Correa do Lago, presidente da Biblioteca Nacional e curador da exposição.

Há também a instalação do brasileira Tunga, "À Luz de Dois Mundos" (29 de setembro a 2 de janeiro), que está localizada na Pirâmide do Louvre. Esta é a primeira vez que um artista contemporâneo expõe neste prestigiado espaço.

Outra mostra é de Charles, conde de Clarac, "Selva Virgem do Brasil" (28 de setembro a 2 de janeiro). A exposição da obra adquirida recentemente pelo museu: um desenho de dimensões excepcionais feito por Clarac em Rio Bonito, 1816.

O evento ainda apresenta relatos de contos, mitos e lendas no auditório do Louvre por Suzanna Azquinezer (narradora) e Bernard Ariu (acordeão).

O músico Vinícius Cantuária se apresentará em outubro no auditório do Louvre. Haverá concertos clássicos.

Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre o museu do Louvre
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página