Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
31/10/2000 - 05h25

Bandas nacionais deixam Rock in Rio 3

Publicidade

ISRAEL DO VALE, da Folha de S.Paulo

Cinco das principais bandas do elenco nacional do Rock in Rio 3 anunciaram ontem que vão deixar o festival, agendado para janeiro do ano que vem, a exemplo do que fez o grupo O Rappa na semana passada.

A decisão foi tomada na tarde de ontem, no Rio, em almoço dos empresários dos grupos Jota Quest, Raimundos, Charlie Brown Jr. e Skank com o do grupo O Rappa. O Cidade Negra também teria fechado com o grupo, por telefone, por meio de sua empresária, que está na Jamaica.

As bandas se queixam de descaso por parte da produção, que se traduziria na falta de diálogo e na desigualdade de condições técnicas em relação às atrações internacionais.

A decisão foi comunicada à produção do festival à tarde, em reunião com a coordenadora do evento, Roberta Medina, filha do empresário Roberto Medina, e o produtor-geral, Cesar Castanho.

"Eles ficavam jogando umas bandas contra as outras. Todas as conversas eram com a faca no nosso pescoço", afirma Marcus Barros, empresário do Charlie Brown Jr. "Chegaram a me dizer que, se eu não estivesse satisfeito, era só mandar um e-mail dizendo que estava saindo do festival."

O início da crise se deu com a desistência do grupo O Rappa, no final da semana passada, sob alegação de que a produção descumpriu o trato de que eles tocariam à noite. O show do Rappa foi programado para às 18h30 -o que, no horário de verão, ainda é dia.

Os demais empresários resolveram se solidarizar e fecharam acordo prevendo que cada banda só toca se todas as demais tocarem. "O Skank já decidiu: nós não tocamos mais", afirma Fernando Furtado, empresário da banda.

A organização prefere tratar o assunto como "um mal-entendido" e garante que pelo menos três bandas já estariam voltando atrás, depois de iniciadas as conversas individualmente.

Segundo a assessoria de imprensa do evento, os empresários dos artistas "já chegaram sem disposição para conversar, decididos a sair". Os produtores do festival marcaram reunião com os empresários para esta manhã, para tentar reverter a situação.

A crise com os artistas nacionais pode se ampliar. A Folha apurou que pelo menos Barão Vermelho e Fernanda Abreu também estudam a hipótese de seu unir ao "Grupo dos Seis" do cisma no Rock in Rio.

Se não se resolver rapidamente, a negociação pode implicar no adiamento do início da venda dos ingressos para os shows, programada para o dia 10 de novembro.

Leia mais:

  • Rock in Rio 3 renegocia com bandas que desistiram do evento, diz Reuters

  • Novas bandas disputam hoje vaga no Rock in Rio

  • Irmão do "backstreet boy" Nick abre show do Five no Rock in Rio 3


  • Leia mais notícias de Ilustrada na Folha Online
     

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página