Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
30/06/2006 - 10h08

Recloose dá geral em sua mistura de ritmos na boate Glória

Publicidade

ADRIANA FERREIRA SILVA
da Folha de S.Paulo

Diz a lenda que, em 1997, o jovem Matthew Chicoine ofereceu um sanduíche "batizado" para Carl Craig, um dos principais produtores da segunda geração do tecno de Detroit, e acabou ganhando um contrato em seu selo, o Planet E.

"Estava na universidade e trabalhava em uma "deli" [lanchonete] fazendo sanduíches", relembra Chicoine, 32. "Muitos músicos costumavam pedir lanches lá, e Carl Craig era um deles. Um dia, fiz uma demo tape e a mandei com o pedido. Funcionou", descreve o músico, hoje conhecido mundialmente como DJ Recloose. Amanhã, a boate Glória recebe o produtor para um set no qual ele promete dar uma geral em sua produção, mostrando faixas que mesclam tecno, house, disco e funk.

Recloose está no país há um mês, participando de um encontro entre artistas neozelandeses e brasileiros, o projeto B-Live OE. Ele integra o "pacote" porque, embora tenha nascido e crescido nos EUA, vive na Nova Zelândia.

Além da batida seca

Apesar das referências sonoras de Carl Craig, as músicas de Recloose vão muito além das batidas secas e percussivas do tecno de Detroit, com influências de ritmos neozelandeses, jazz, reggae, tecno minimalista, house e outros.

Isso se deve em parte à mudança de ares, por conta da troca de país, e por sua formação como instrumentista. "Cresci tocando saxofone, e o jazz foi minha primeira influência. Depois, ouvia tecno, electro e hip hop no rádio", fala Recloose.

No sábado, Recloose deve mostrar produções de seus dois discos, "Cardiology" (2000) e "Hiatus on the Horizon" (2004). Há músicas disponíveis no site www.recloose.com.

DJ RECLOOSE
Quando: amanhã, às 24h
Onde: Glória (r. Treze de Maio, 830, SP, tel. 0/xx/11/3287-3700)
Quanto: R$ 35

Especial
  • Leia o que fazer no fim de semana no Acontece Online
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página