Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
16/11/2000 - 15h28

Netinho diz ter preconceito contra pagode baiano

Publicidade

DÉBORA PRATALI
da Folha Online

O cantor baiano Netinho disse na manhã de hoje, em entrevista coletiva de lançamento do mais recente CD "Corpo Cabeça", que existe um certo preconceito dele e de outros artistas com grupos que fazem o chamado pagode baiano e evidenciam nomes vulgares em suas letras. "O pagode baiano é um ritmo maravilhoso para dançar, mas não tem conteúdo na letra", disse.

Segundo ele, há novos grupos de pagode baiano fazendo sucesso em Salvador que vulgarizam a música. "Eles estão barbarizando nas letras. É uma baixaria horrível. Músicas terríveis que tocam nas rádios e, às vezes, geram um preconceito em relação ao axé. Isso não é a nossa música. Então, claro que há uma separação desses dois gêneros musicais e dos artistas", disse.

Netinho está lançando seu primeiro CD duplo, pela Universal Music. Apesar de serem vendidos juntos, os discos são divididos de acordo com o ritmo das canções. "Corpo" é mais dançante, feito para colocar na festa e deixar rolar. "Cabeça" é mais pop, sem tanta percussão. Segundo Netinho, há grande possibilidade dos discos serem vendidos separados após o carnaval, para isso, serão incluídas mais músicas no repertório.

A turnê do show "Corpo Cabeça" tem início previsto para janeiro de 2001. Netinho contou que o pano de fundo será futurista com muita tecnologia - ele é um apreciador de computadores.
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página