Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
01/12/2006 - 17h41

"Musa do corujão", apresentadora da MTV lança banda de meninas

Publicidade

da Folha Online

Musa da madrugada, a apresentadora da MTV Luisa Micheletti, 23, lança sua banda Fantasmina neste domingo (3), no Hangar 110 (r. Rodolfo Miranda, 110, Bom Retiro), em São Paulo. Ela é a baixista do grupo, formado ainda por Elisa Gargiulo (guitarra) e a norte-americana Kerby Ferris (bateria). As três dividem os vocais do Fantasmina.

"Não toco baixo há muito tempo, mas estudei teoria musical na adolescência e aprendi a tocar violão. Acho que, além de tocar o instrumento, óbvio, contribuo criativamente sem muitos vícios de sonoridade, o que casa bem com a bagagem mais vasta da Elisa", diz Luisa à Folha Online.

Ana Ottoni/Folha Imagem
Apresentadora da MTV Luisa Micheletti vira "musa do corujão" e lança banda feminista
Apresentadora da MTV Luisa Micheletti vira "musa do corujão" e lança banda em SP
Militante do movimento homossexual, Elisa já comanda as bandas Dominatrix e Lesbião Urbana, ao lado de sua companheira Kerby.

"A união entre as integrantes é ótima. Somos amigas há quase quatro anos, mas o projeto da banda surgiu neste ano", conta Luisa.

O estilo da banda é "disco metal". As letras abordam a tecnologia, traçam previsões para as relações humanas e se engajam na defesa do movimento de software livre.

"A inspiração nesse universo tecnológico é algo que temos em comum --principalmente a Kerby, que tem uma ligação e um fascínio
muito forte com o universo virtual", diz Luisa.

Divulgação
Para ficar com Elisa, a norte-americana Kerby [à dir.] conseguiu visto para morar no Brasil
Elisa e a norte-americana Kerby [à dir.] são militantes do movimento lésbico em SP
Este será o primeiro show do Fantasmina. "Acho que quem curte música e rock em especial sempre tem uma vontadezinha recalcada de pisar num palco", conta a apresentadora.

Segundo Luisa, o Fantasmina não pretende levantar bandeira por ter em sua formação duas militantes lésbicas.

"Quanto ao lance de militância GLS, o Fantasmina não é uma banda feminista como o Dominatrix. É um projeto paralelo da Elisa, voltado especialmente para a música. A gente sabe que a Elisa acabou se tornando um ícone político, mas a minha afinidade com ela é totalmente musical e de amizade. Por mais que todas as integrantes da banda tenham consciência política, a banda em si não tem o intuito de levantar bandeira."

De segunda a quinta, a partir da meio-noite, Luisa apresenta o programa "Ya! Dog", no qual conversa sobre música e tecnologia com integrantes de bandas jovens.

Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre Luisa Micheletti
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página