Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
03/01/2007 - 13h31

Oprah Winfrey inaugura escola para meninas pobres sul-africanas

Publicidade

da France Presse, em Henley-on-Klip (África do Sul)

A mais proeminente apresentadora de talk-show da televisão americana, Oprah Winfrey, 52, inaugurou uma escola multimilionária para meninas sul-africanas totalmente financiada por ela, em um dia que ela denominou como "o melhor da minha vida".

A escola de Winfrey é o ponto culminante de um compromisso assumido seis anos atrás com o ex-presidente sul-africano, Nelson Mandela, ícone da luta contra o regime do apartheid.

"Partilhamos a convicção de que anos de democracia seriam anulados se não educássemos adequadamente nossa juventude. Esperamos que essa escola se torne o sonho de cada jovem menina sul-africana", disse Mandela. "O que você faz não é uma doação distante, mas um projeto que claramente está em seu coração. Nós a saudamos como uma amiga e um modelo", acrescentou o ex-presidente.

Há seis anos, durante visita de Oprah a Mandela, ele pediu que ela financiasse algumas causas. Inicialmente, ela se comprometeu a doar 70 milhões de rands (US$ 10,15 milhões) para a escola, mas acabou financiando 280 milhões de rands (US$ 40,6 milhões).

Winfrey tentou conter as lágrimas enquanto cortava a fita da Oprah Winfrey Leadership Academy for Girls (Academia Oprah Winfrey de Liderança para Meninas), em Henley-on-Klip, ao sul de Johannesburgo.

"Este é o dia pelo qual esperei nos últimos seis anos. Este é o dia de maior orgulho e o melhor da minha vida", afirmou. "É um momento supremo do destino para mim. Quando se educa uma menina, começa-se a mudar a face de uma nação."

As instalações, totalmente financiadas pela fundação de Winfrey, se estendem por uma área de 21 hectares e são compostas por 28 edifícios com salas de aula modernas, laboratórios e um auditório. A escola dará educação gratuita para as meninas de famílias pobres das nove províncias do país, escolhidas por suas qualidades de inteligência e liderança.

A inauguração contou com a presença de celebridades como o veterano de Hollywood Sidney Poitier, as cantoras Tina Turner, Mary J. Blige e Mariah Carey, o cineasta Spike Lee, o comediante Chris Rock e a apresentadora de TV Diane Sawyer. Muitos famosos trouxeram consigo livros que marcaram suas vidas para serem incluídos na biblioteca da escola.

"É uma iniciativa notável e espero que seja a primeira de muitas escolas. Tentarei ajudar o quanto puder e não fazer desta minha única visita", disse Rock.

Winfrey comparou sua vida com a das 152 meninas selecionadas para estudar na escola. "Eu procurava por meninas com algo especial. Uma qualidade inacreditável e indefinível que brilha tanto que nem a pobreza, nem as circunstâncias da pobreza podem ofusca", disse Winfrey.

HIV

Oprah, que superou a pobreza e uma infância difícil para acumular uma fortuna estimada em pelo menos US$ 1,5 bilhão, segundo a revista Forbes, disse que pretende dar a meninas como ela uma chance na vida.

"Uma menina instruída é menos propensa a ter HIV. Uma menina instruída corre menos riscos de ter um filho fora do casamento", disse, acrescentando que suas protegidas farão exames de detecção do vírus da Aids se seus pais consentirem.

A África do Sul é o segundo país do mundo com maior número de casos de HIV no mundo, com 5,5 milhões de pessoas vivendo com o vírus (o primeiro é a Índia, com 5,7 milhões, segundo a ONU - porém a Índia é o segundo país mais populoso do mundo, com mais de 1,1 bilhão de habitantes).

As meninas com idades entre 11 e 13 anos foram selecionadas de um total de 3.500 candidatas, reduzidas a 500, quando a própria Oprah realizou o processo de entrevistas. "Fui às casas delas, conheci seus pais e professores. Conheço sua história porque é a minha história", afirmou.

Lesego Tlhabanyae, uma menina de 13 anos, de Soweto, estava em êxtase. "Estou muito feliz, acredito que toda criança merece educação gratuita e de qualidade. Mal posso esperar pelas camas confortáveis e por minhas novas amigas", disse Tlhabanyae, que ficou órfã quando seu pai matou sua mãe e depois se suicidou.

Especial
  • Leia tudo o que já foi publicado sobre Oprah Winfrey
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página