Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
20/01/2009 - 10h51

Obama assume Casa Branca sob grande expectativa; veja repercussão

Publicidade

da Folha Online

O presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, toma posse na tarde desta terça-feira em uma cerimônia que promete ser histórica, tanto na política, como na dimensão do evento. Obama será o primeiro presidente negro do país e o 44º da história dos EUA.

As edições eletrônicas dos principais jornais internacionais dedicam grande espaço para o futuro presidente dos EUA e destacam o clima de esperança e otimismo que marca não apenas os cerca de 1,5 milhão de pessoas que devem assistir de perto ao discurso, mas a milhões de americanos e apoiadores em todo o mundo.

Veja repercussão da posse de Obama na imprensa internacional:

"The New York Times" (EUA)
Transição dá pistas sobre governo Obama

Reprodução
New York Times

O jornal "The New York Times" dedica grande parte de sua edição eletrônica à posse de Obama e às expectativas em torno de sua administração. Em artigo intitulado "Transição dá pistas sobre governo Obama", o jornal destaca a tranquilidade que o democrata demonstra a poucas horas de assumir não apenas a Casa Branca, mas a maior crise econômica dos EUa nos últimos anos.

"Ele permanece difícil de rotular ou de ler", diz o jornal, afirmando que Obama é centrista em suas declarações e bipartidário em seu estilo, mas também empurra grande expansão do governo em várias gerações.

Com as expectativas altas, Obama terá que escolher entre conselhos contraditórios e prioridades, arriscando o desapontamento ou mesmo raiva dos americanos que, até o momento, pode ainda ver nele o que eles esperam ver.

"The Washington Post" (EUA)
Uma cidade e uma nação se preparam para celebrar

Reprodução
Washington Post

Assim como o "NYT", o "Post" dedica espaço de grande destaque para a posse de Obama, acompanhando com correspondentes o grande movimento de pessoas na madrugada em Washington e no National Mall, onde Obama deve discursar.

Na fila de milhares de pessoas, fica difícil distinguir quem está desde a noite desta segunda-feira (19) e o começo da manhã desta terça-feira. Na expectativa de conseguir um lugar de destaque para assistir Obama e um local para estacionar o carro.

Antes mesmo do sol nascer, milhares de americanos dividiam cobertores, sacos de dormir e canecas de café para resistir ao frio e aguardar nas longas filas da estação de metrô.

Às 4h30 (1h30 no horário de Brasília), o metrô já estava lotado, assim como os estacionamentos próximos às estações. Ninguém parecia incomodado pela noite, sob a expectativa de ver o primeiro presidente negro do país.

"El Pais" (Espanha)
O grande dia de Obama

Reprodução
El Pais

O jornal espanhol "El Pais" segue a tendência dos jornais americanos e dá destaque à posse de Obama. "Hoje é o grande dia para Barack Obama, que esta tarde assume como o 44º presidente dos EUA".

O jornal estima que entre dois e quatro milhões de pessoas devem acompanhar o juramento de Obama, do National Mall e dos arredores do Capitólio de Washington, uma cidade blindada com milhares de policiais encarregados de manter a segurança durante a jornada histórica.

"Juro solenemente que executarei com fidelidade o cargo de presidente dos Estados Unidos da América e que usarei toda a minha capacidade para preservar, proteger e defender a Constituição dos EUA". Este é o juramento que Obama fará diante da multidão e com a qual se tornará o 44º presidente do país.

Antes de ir para a Casa Branca, onde está morando desde o dia 15 de janeiro, na casa de hóspedes, Obama pronunciará discurso, o primeiro como presidente e o mais importante de sua meteórica carreira política.

"Corriere della Sera" (Itália)
Encontro com a história. Hoje Obama torna-se presidente

Reprodução
Corriere Della Sera

"Será uma celebração não apenas do presidente, mas do povo americano, do espírito americano". Assim, com discurso sucinto no sábado (17), barack Obama definiu o dia da posse, a cerimônia aguardadíssima de sua chegada à Casa Branca.

Em Washington, afirma o jornal italiano, é esperada a maior plateia que a cidade já viu e as autoridades estão preparadas para acolhê-la e controlá-la. A previsão é de que dois ou três milhões de pessoas enfrentarão o frio abaixo de zero.

Elas se espremerão em metrô e nos ônibus, farão longas filas para passar pelo posto de controle da segurança e conquistar um espaço no Mall.

Obama pronunciará as 35 palavras de juramento previsto pelo artigo 2 da Constituição, de frente ao presidente da Corte Suprema, John Roberts, concluindo, como seus predecessores, com "que Deus me ajude".

"Le Monde" (França)
Barack Obama deve atender as expectativas de uma nação

Reprodução
Le Monde

No auditório da Universidade do Distrito de Colúmbia, em Washington, nesta terça-feira, várias centenas de ativistas das associações de esquerda se reúnem para celebrar depois de ajudar a trazer Barack Obama à Presidência dos Estados Unidos.

"Em dois anos, seu nome é conhecido em todo o mundo", disse Van Jones, um ambientalista, na Califórnia. Mas o nome de Obama pode representar mais do que um nome conhecido, ele pode ser não só o primeiro presidente negro dos EUA, como também um herói global. A resposta depende dele, mas também de nós.

Por todo o país, centenas de milhares de ativistas estão presentes na posse do 44º presidente dos EUA e comemorar uma vitória que eles sentem que tem contribuído significativamente, apesar de alguns já começaram a "reescrever história", como afirmou Van Jones.

"The Guardian" (Inglaterra)
Feitiço que irá inaugurar uma nova era

Reprodução
Guardian

O jornal inglês "The Guardian" traz em sua página um artigo do jornalista Jonathan Freedland sobre a posse de Obama. Ele fala em um feitiço que deve ser realizado por Obama nesta terça-feira por um homem que, há 12 semanas, era um mero candidato político.

Ele será transformado em um encanto com poucos palavras, diante de uma multidão vasta e uma audiência de televisão de centenas de milhões, se não bilhões, de expectadores.

É um ato de alquimia política que acontece toda vez que um presidente toma posse, mas que raramente é tão antecipado quando este.

Washington DC, normalmente uma cidade de figuras sóbrias adquiria a atmosfera de um quarto de criança nas primeiras horas da manhã de natal --neve caindo, muita decoração e a resolução de acordar cedo para não perder o momento.

Comentários dos leitores
J. R. (1267) 02/02/2010 13h52
J. R. (1267) 02/02/2010 13h52
Obrigado pela dica! Um bom documentario sobre o poder dos bancos. sem opinião
avalie fechar
Mauricio Valente (7) 01/02/2010 19h40
Mauricio Valente (7) 01/02/2010 19h40
Para J.R.:
Interessante seu conhecimento de política internacional, mas falta um esclarescimento:
Assista ao documentário de Charlie Sheen "a verdade liberta voce" no youtube. Vai gostar de ligar os pontinhos...
sem opinião
avalie fechar
Marcelo Moreto (248) 01/02/2010 18h12
Marcelo Moreto (248) 01/02/2010 18h12
Bom, vamos esperar que parte desses BILHÕES sejam destinados à retirada de tropas dos países que eles invadiram. E esperar que este valor não seja atrelado à dívida externa dos mesmos... 4 opiniões
avalie fechar
Comente esta reportagem Veja todos os comentários (1744)
Termos e condições
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página