Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
15/03/2004 - 08h41

China executa 10 mil pessoas anualmente, diz deputado

Publicidade

da France Presse, em Pequim

Cerca de 10 mil pessoas são condenadas à morte e executadas anualmente na China, disse um deputado chinês, segundo a imprensa chinesa.

É a primeira vez que se divulga na China uma estatística semi-oficial sobre a pena de morte.

"Há cerca de 10 mil casos de pena de morte seguidos de execuções imediatas, ou seja, cinco vezes mais do que em todos os outros países juntos", declarou Chen Zhonglin, deputado de Xunquing (sudoeste), ao "Diário da Juventude da China", em sua edição do final de semana.

Considerada pelas organizações de defesa dos direitos humanos como a nação que mais recorre à pena de morte, a China sempre justificou manter em segredo o número de execuções.

Algumas execuções --por exemplo as de corruptos, traficantes de drogas ou assassinos em série-- são divulgadas, mas outras não.

A Anistia Internacional havia estabelecido em 1.060 o número de execuções publicamente anunciadas em 2002, estimando que o número total eram muito mais elevado.

A associação internacional contra a pena de morte "Hands off Cain" havia estimado em mais de 3.000 o número de execuções no mesmo ano.
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página