Turnê de Foo Fighters, que toca hoje em São Paulo, lança operação solo de firma no país

Shows marcam estreia da Live Nation no Brasil; empresa promove apresentações de Demi Lovato em abril

Amanda Nogueira
São Paulo

A turnê do Foo Fighters com Queens of the Stone Age, que chega a São Paulo nesta terça (27), marca o início da operação independente da Live Nation no Brasil.

Trata-se da empresa líder no mercado global de entretenimento ao vivo, com atuação em mais de 40 países e sua própria divisão de vendas e distribuição de ingressos, a Ticketmaster.

Até então, a Live Nation realizava espetáculos com intermediárias regionais, como a Time for Fun (T4F), com a qual promoveu turnês de artistas como Justin Bieber, em 2017, e a Move Concerts, parceira nos recentes shows de Phil Collins.

Segundo Alexandre Faria, diretor e vice-presidente de aquisição de talentos da Live Nation e ex-diretor artístico da T4F, a atuação local deve aumentar o número de turnês que circulam pelo país.

Faria afirma que a empresa, com base nos EUA, irá estudar “possibilidades de encontros entre artistas brasileiros e estrangeiros e novos formatos” de espetáculos.

Públicos fora do eixo Sul-Sudeste podem ser beneficiados com a operação regional. “Não é tão corriqueiro, mas vamos olhar para outros mercados”, diz Faria.

O Nordeste será contemplado já na próxima turnê que a empresa realiza por aqui. Em abril, Demi Lovato levará “Tell e That You Love Me” a Recife e Fortaleza, além das praças usuais, como São Paulo e Rio.

A Live Nation anunciaria nesta terça (27) os resultados financeiros de 2017. Em setembro, a empresa divulgou uma prévia dos resultados referentes aos nove meses anteriores, marcando um aumento de 12% em sua receita e prevendo fechar o ano com despesa de US$ 5 bilhões na produção de shows.

“A crise impacta no patrocínio, as pessoas podem deixar de fazer alguma compra ou uma viagem mais cara, mas continuam indo a shows e ao cinema”, diz Faria.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.