Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
23/03/2013 - 03h30

Israel se desculpa com Turquia por ataque

Publicidade

DIOGO BERCITO
DE JERUSALÉM

Israel e Turquia entraram em acordo, ontem à tarde, para reestabelecer as relações diplomáticas regulares entre os dois países após um telefonema entre o primeiro-ministro israelense Binyamin Netanyahu e a sua contraparte turca, Tayyip Erdogan.

Ao telefone, Netanyahu pediu desculpas à Turquia pelos "erros operacionais", "não intencionais", que levaram à morte de nove ativistas turcos em 2010, em uma flotilha humanitária que buscava contornar o bloqueio israelense à faixa de Gaza.

A ação israelense levou, naquela época, à deterioração das relações diplomáticas entre os dois países, com a retirada de diplomatas turcos de Israel. Após os acordos de ontem, os embaixadores voltarão aos postos.

A ligação, com cerca de 10 minutos de duração, foi facilitada por Barack Obama, presidente dos EUA, que encerrou ontem sua visita a Israel depois de ter feito reiterados pedidos pelas negociações de paz no país.

Pablo Martinez Monsivais/Associated Press
Obama presta homenagem a vítimas do Holocausto em Jerusalém, na presença de Shimon Peres e Binyamin Netanyahu
Obama presta homenagem a vítimas do Holocausto em Jerusalém, na presença de Shimon Peres e Binyamin Netanyahu

De acordo com funcionários da administração Obama ouvidos pelo jornal israelense "Haaretz", a ligação ocorreu no aeroporto internacional Ben Gurion e Obama esteve na linha, também, durante algum tempo.

A estabilização das relações entre Israel e Turquia é vista também como um interesse americano, já que os EUA são aliados de ambas essas potências regionais.

De acordo com nota oficial divulgada pelo governo israelense, Netanyahu "contou ao primeiro-ministro turco Erdogan que ele teve boas conversas [com Obama] sobre a questão da cooperação regional e a importância das relações Israel-Turquia".

"O premiê Netanyahu pediu desculpas ao povo turco por quaisquer erros que podem ter levado à perda de vida e concordou em concluir um acordo para compensação [financeira de famílias]."

COOPERAÇÃO

Tradicionalmente aliados, Israel e Turquia mantinham uma relação conflituosa nos últimos anos, devido ao incidente da flotilha. Erdogan insistia que Israel pedisse desculpas pelo ocorrido.

Recentemente, a tensão havia se agravado, conforme o premiê turco afirmou que o sionismo é um "crime contra a humanidade" --sendo duramente criticado por Israel.

Após o acordo inesperado de ontem, os dois líderes concordaram em cooperar em relação à situação humanitária na faixa de Gaza. Israel controla a entrada e saída nesse estreito trecho de terra.

A atitude mais flexível de Israel pode também ter relação com o novo gabinete de Netanyahu, que não tem, por exemplo, ex-chanceler linha-dura Avigdor Lieberman.

Editoria de Arte/Folhapress
Fim da crise
Fim da crise
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página