Descrição de chapéu Governo Trump Coronavírus

Trump critica combate do Brasil à Covid-19 e volta a cogitar restrição de voos do país

Americano afirma que Brasil foi 'por caminho diferente do da maioria da América do Sul'

São Paulo

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta terça-feira (28) que o Brasil está enfrentando um "grande surto" de coronavírus e voltou a dizer que seu governo estuda criar restrições de voos ao país.

O líder americano disse que provavelmente vai impor medidas para obrigar turistas brasileiros a passarem por testes rápidos de detecção de Covid-19 e a terem suas temperaturas medidas antes de embarcarem em direção ao território americano.

O governador da Flórida, Ron DeSantis, à esq., durante encontro com Donald Trump na Casa Branca
O governador da Flórida, Ron DeSantis, à esq., durante encontro com Donald Trump na Casa Branca - Carlos Barria/Reuters

Trump também deixou claro que ainda estuda exatamente quais serão as regras e que uma das opções é banir completamente a entrada de aeronaves comerciais provenientes do Brasil, como já fez com a China e com a Europa. Isso, porém, poderia afetar a indústria do turismo, especialmente na Flórida, afirmou ele.

O americano já tinha levantado a possibilidade de restringir voos brasileiros no final de março, mas acabou não impondo nenhuma medida.

Na noite desta terça, Jair Bolsonaro comentou, na portaria do Palácio do Alvorada, a declaração de seu aliado. “Eu não concordo com nada nem discordo. O que ele [Trump] achar que tem que fazer no país dele, ele faz. Olha, rapaz, ele fala sobre o que teu país [dele] deve fazer, eu falo o que o meu país deve fazer.”

As declarações de Trump foram dadas durante um encontro entre o presidente e o governador da Flórida, o também republicano Ron DeSantis, na Casa Branca.

Durante a entrevista coletiva, DeSantis foi questionado se estava preocupado com a situação de disseminação do coronavírus na América Latina, já que muitos moradores da região costumam viajar para a Flórida.

O governador disse que estava atento ao problema e afirmou esperar ver em breve um aumento no número de casos no Brasil. Na sequência, sugeriu a Trump obrigar viajantes da região a realizarem testes antes de embarcarem para os EUA.

"Você quer interromper [os voos do] Brasil?", perguntou Trump, cortado a fala do aliado.

“Não necessariamente interromper, mas se você vai voar para Miami, então a companhia aérea deveria te dar um teste rápido e só então deixar você entrar no avião", respondeu DeSantis.

"Você quer banir a entrada de alguns países?", prosseguiu o presidente.

"Se eles ameaçarem os EUA, com certeza", respondeu o governador. "Avise-nos", completou Trump.

Na sequência da entrevista, outro jornalista perguntou diretamente ao presidente se ele iria determinar a obrigatoriedade de testes rápidos para todos os viajantes internacionais, mas Trump respondeu citando apenas o Brasil.

"O Brasil está tendo um grande surto. Eles foram por um caminho diferente do da maioria da América do Sul. Quando você olha os gráficos, infelizmente percebe o que está acontecendo com o Brasil", afirmou.

"Estamos observando a situação lá e, em coordenação com os governadores, especialmente com Ron, vamos tomar uma decisão em breve."

Aliado de Trump, Jair Bolsonaro tem sido um dos poucos líderes da América Latina —e do mundo— a minimizar a gravidade da Covid-19. O presidente brasileiro chegou a compará-la a uma gripezinha.

Assim como o presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, o americano também minimizou o risco da pandemia em seu início, mas depois mudou de posição.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.