Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
18/12/2010 - 11h08

Obama diz que tratado nuclear com Rússia beneficia os EUA, não um partido

Publicidade

DA EFE, EM WASHINGTON

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pediu neste sábado ao Senado americano que ratifique o tratado Start sobre desarmamento nuclear, estabelecido com a Rússia, ao afirmar que o pacto beneficiará a segurança do país, não um partido político em particular.

Em seu discurso semanal dos sábados, Obama advertiu que "sem um novo tratado, corremos o risco de recuar e perder o progresso obtido em nossa relação com a Rússia", essencial para o cumprimento das sanções contra o Irã e para o abastecimento de suprimentos às tropas internacionais no Afeganistão.

As falas do presidente americano ocorrem quando o Senado debate o tratado, que para ser ratificado requer o "sim" de dois terços da casa -- 67 legisladores.

Os democratas contam com 58 cadeiras e, por isso, requerem o apoio de pelo menos nove republicanos.

Se o ano terminar sem que o Start ratificado, os democratas, que passarão a ser apenas 53 no Senado, vão precisar do respaldo de 14 republicanos, o que reduz as chances de sua aprovação.

O novo tratado Start reduz em 30% o número de ogivas nucleares tanto dos EUA quanto da Rússia, até 1.550 por país, e limita a 800 a quantidade de vetores estratégicos, como mísseis intercontinentais, submarinos e bombardeiros estratégicos.

Após quase um ano de negociações, Obama e o presidente russo, Dmitri Medvedev, assinaram em abril passado o acordo de desarmamento em Praga.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página