Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
14/12/2010 - 11h51

Cai gravidez na adolescência e sobe número de cesáreas

Publicidade

ANGELA PINHO
DE BRASÍLIA

As brasileiras estão tendo menos filhos, principalmente as adolescentes, mas ainda é alto o número de mães jovens.

Aumenta taxa de mortes por diabetes
Temporão promete plano contra a obesidade
Mortes causadas por doenças crônicas diminuem 17% entre 1996 e 2007
Pesquisa mostra redução nas taxas de mortalidade materna e infantil no Brasil

De acordo com estudo do Ministério da Saúde divulgado nesta terça-feira, o número de partos no país caiu 9% de 2000 a 2008. A faixa etária que concentrou maior parte da queda (93%) foi a de 15 a 24 anos. Mais da metade dos partos de meninas nessa faixa etária ocorreram nas regiões Norte e Nordeste.

Entre as mulheres de 25 a 44 anos, o Sudeste tem maior concentração de partos.

A Região Norte foi a única a registrar aumento no número de nascimentos, equivalente a 8,2%. Para o ministério, o crescimento é resultado da ampliação do sistema que verifica a taxa de natalidade no país. A maior queda foi constatada no Sul, 17,7%.

Ainda assim, o órgão considera que a fecundidade no país ainda é precoce: 20% dos partos ocorrem entre mães entre 15 a 19 anos e 29% entre 20 e 24.

CESÁREAS

Apesar das diversas campanhas do governo, o número de cesarianas cresceu, passando de 38% dos partos, em 2000, para 47% em 2007. O estudo mostra que os bebês nascidos dessa forma têm mais baixo peso do que os nascidos por parto natural -- o percentual é de 8,6% contra 7,8%.

Mulheres com mais de 12 anos de estudo são as que mais fazem a cirurgia, sobretudo nas regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste.

O ministro José Gomes Temporão (Saúde) afirma que esse dados ainda têm que ser estudados, mas são um indício de que as cesarianas estão sendo feitas antes do momento certo.

PRÉ-NATAL

O número de mulheres que faz pelo menos sete consultas de pré-natal aumentou, mas está longe do ideal: foi de 43,7% para 55,8%.

com AGÊNCIA BRASIL

+ Livraria

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página