Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
21/10/2009 - 09h11

Reino Unido inicia vacinação em massa contra gripe suína

da BBC Brasil

O Reino Unido deu início nesta quarta-feira a um programa de vacinação em massa contra a gripe suína, semanas antes da chegada do inverno no hemisfério Norte.

Pacientes de hospitais em estado grave, médicos e enfermeiros serão os primeiros a receber a vacina, dos 14 milhões de pessoas identificados como "grupo prioritário".

A partir da semana que vem, médicos de família vão contatar pessoas com problemas de saúde, sistema imunológico prejudicado e mulheres grávidas para que recebam a vacina.

As autoridades médicas envolvidas no programa pediram a todos do grupo prioritário que tomem a vacina. O governo ainda vai decidir se o resto da população também deverá ser imunizado.

Os Estados Unidos, a Austrália e a China já estão com campanhas de vacinação contra gripe suína em andamento.

As autoridades médicas chinesas iniciaram nesta terça-feira (20) um programa de vacinação em massa em Pequim, em que esperam imunizar 5 milhões de pessoas até dezembro.

Entre as prioridades chinesas estão estudantes de escola primária e secundária, médicos, enfermeiros, funcionários públicos e idosos acima dos 60 anos.

Pandemia

No Reino Unido, o auge da pandemia até agora ocorreu no verão, mas nas últimas semanas, o número de casos voltou a subir. Até outubro, foram registradas 106 mortes no Reino Unido por causa do vírus.

O chefe de Saúde do governo, Liam Donaldson, disse que o programa de vacinação está começando bem a tempo para o inverno, quando teme-se que uma nova onda de gripe suína afete a região.

"Esta é a primeira pandemia para a qual temos uma vacina para proteger as pessoas. Peço a todos no grupo de prioridade que tomem a vacina", disse Donaldson.

Apesar de a vacina ter sido produzida mais rapidamente do que o normal, Donaldson negou que ela tenha sido apressada e ressaltou que é segura.

Segundo ele, intensivos testes em um protótipo permitiram aos fabricantes produzir a vacina rapidamente, uma vez que as amostras do vírus H1N1 --da gripe suína-- se tornaram disponíveis.

As autoridades também ressaltaram a importância de médicos e enfermeiras tomarem a vacina, para não transmitir o vírus para pacientes ou familiares.

O programa de vacinação representa um grande desafio logístico para os serviços de saúde e deve levar dois meses para ser completado.

Ele será implementado junto a uma campanha de vacinação contra a gripe comum e forçou clínicas britânicas a contratarem mais funcionários para lidar com a demanda.

De acordo com o sistema criado pelo governo, o grupo de prioritários foi dividido em quatro.

As pessoas com menos de 65 anos com problemas de saúde e sistemas imunológicos prejudicados, como pacientes de quimioterapia, vão ser vacinados primeiro.

Em seguida, serão vacinadas as mulheres grávidas, depois pessoas que moram com indivíduos que tenham o sistema imunológico comprometido e, depois, as pessoas com mais de 65 anos que tenham problemas de saúde.

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde, quase 5.000 pessoas morreram de gripe suína em todo o mundo, neste ano. Estima-se que 400 mil pessoas tenham sido contaminadas pelo vírus.

Comentários dos leitores
Caro eduardo de souza,
A vacina contra o vírus Influenza A (H1N1) foi testada antes de ser utilizada na população e, aqui no Brasil, ela é aprovada pela Anvisa. Seus efeitos colaterais possíveis, até o momento, são: dor no local da aplicação da injeção, febre, dor de cabeça ou nos músculos e articulações. Esses sintomas costumam ser leves e duram 1 ou 2 dias. Raramente, podem ocorrer reações alérgicas como inchaços, asma ou alguma reação mais forte, por conta de hipersensibilidade aos componentes da vacina.
Mais informações: fernanda.scavacini@saude.gov.br
Atenciosamente,
Ministério da Saúde
sem opinião
avalie fechar
eduardo de souza (635) 02/02/2010 02h12
eduardo de souza (635) 02/02/2010 02h12
Centenas de casos de "NERVO MORTAL", uma paralisia dos nervos, estão sendo associados aos que tomaram a vacina. Entre esses casos, a confirmação de que foi mesmo a vacina foi oficializado. "Esses casos são raros" tem afirmado o governo do Eua e os laboratorios que as produziram.
Mais da metade dos médicos N. Amer. não tomaram a vacina "MEDO DE EFEITOS COLATERAIS".
Aos que aqui voriferam os "benefícios" da vacina, estejam a vontade, podem tomá-la, alguns laboratórios estão a procura de "voluntários". :0)
1 opinião
avalie fechar
hugo chavez (310) 01/02/2010 21h39
hugo chavez (310) 01/02/2010 21h39
O silêncio do "Ministério da Saúde" frente às minhas colocações sobre as investigções mundiais em face de supostas irregularidades no episódio "pandemia de gripe suína" deixa algo no ar e cada um pode interpretar como quiser. Claro que tudo isto ocorre numa esfera muito acima do próprio Minsitério e tb, bem além do Governo brasileiro. Só os "donos do mundo" que elaboraram mais este "projeto" para o Mundo, podem esclarecer a questão. Afinal, alguns governos parecem ter sido vítimas, junto com a população mundial, destes "eventos mal esclarecidos". Para os que se perguntam se devem tomar a vacina, é bom refletir sobre tudo isto e decidir conforme a conveniência pessoal. Eu apóio as outras vacinas e as utilizo, mas, "gripe suína' e de outras "grifes", não me enganam. A "grande mídia" deveria investigar isto mais a fundo ou não? Sei lá né rsrs. sem opinião
avalie fechar
Comente esta reportagem Veja todos os comentários (6467)
Termos e condições
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página