Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
18/05/2005 - 09h26

Assembléia e sede do governo são depredadas em Rondônia

Publicidade

SILVIO NAVARRO
da Agência Folha, em Porto Velho

Um grupo capitaneado por lideranças estudantis depredou a Assembléia Legislativa e o Palácio do Governo de Rondônia, em protesto contra os deputados que aparecem como suspeitos de tentativa de corrupção em fitas gravadas pelo governador Ivo Cassol (PSDB). Houve tentativas de invasão dos dois prédios, contidas pela Tropa de Choque da PM.

Foi a mais dura manifestação desde a divulgação de vídeos por Cassol, nos quais sete deputados aparecem negociando R$ 50 mil em troca de apoio no Legislativo.

Segundo Francisco Leílson, vice-presidente da UNE (União Nacional dos Estudantes), três estudantes ficaram feridos no confronto com a PM, que usou mais de 20 bombas de efeito moral.

Leílson afirmou que a UNE "apóia qualquer tipo de movimento pela democracia" e que "não houve apedrejamento, mas uma tentativa de entrada da Assembléia, contida com violência".

A manifestação em frente à Casa começou por volta das 15h (horário de Brasília), após uma marcha de 350 estudantes, segundo a PM, de cinco faculdades. Na porta da Casa, juntaram-se ao grupo de aproximadamente 150 pessoas.

Cerca de uma hora depois, os manifestantes, a maioria com o rosto pintado de azul, vermelho e amarelo, começaram a atirar ovos, garrafas plásticas e notas de papel que imitavam cédulas de R$ 50 mil contra a fachada da Casa.

Na Assembléia, destruíram a pedradas duas portas inteiriças de janelas e holofotes. Atearam fogo numa barricada de madeira da PM e jogaram pelo menos uma bomba caseira na parede. No Palácio, quebraram janelas.

A marcha foi organizada pelos diretórios acadêmicos das faculdades, que desde domingo exibem as imagens dos deputados supostamente negociando.

A manifestação explodiu no momento em que a deputada Ellen Ruth (PP), que aparece nas fitas, lia a pauta da sessão legislativa. Em meio ao tumulto nos corredores, os deputados foram retirados do plenário pela segurança.

Senado

O Senado aprovou ontem à noite a criação de comissão externa de cinco parlamentares para investigar as suspeitas de irregularidades envolvendo a cobrança de propina na Assembléia de Rondônia e denúncias de corrupção contra o governador Ivo Cassol.

A senadora Fátima Cleide (PT-RO) havia pedido o afastamento de Cassol e ventilou a possibilidade de intervenção no Estado. Porém, governistas e oposicionistas concordaram com a necessidade de apurar melhor as denúncias para subsidiar medidas por parte da União. Os membros da comissão deverão ser nomeados pelo presidente do Senado, Renan Calheiros, nesta semana e começarão a investigação a partir da denúncia de Cassol veiculada pela TV Globo no domingo.

Leia mais
  • Erramos: "Assembléia e sede do governo são depredadas em Rondônia"
  • Fita provoca crise e protesto em Rondônia
  • Senadores criam comissão para apurar denúncias de corrupção em Rondônia

    Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre Ivo Cassol
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página