Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
09/01/2007 - 13h34

Polícia norte-americana prende fundadores da Renascer

Publicidade

da Folha Online

O FBI (Federal Bureau of Investigation) --a polícia federal norte-americana-- prendeu nesta terça-feira o casal Estevam Hernandes Filho e Sônia Haddad Moraes Hernandes --fundadores da Igreja Apostólica Renascer em Cristo-- em Miami. O casal havia embarcado para os Estados Unidos na noite desta segunda-feira, em Guarulhos (SP).

Segundo o Gaeco (Grupo de Atuação de Repressão ao Crime Organizado), do Ministério Público Estadual de São Paulo, o casal também vai ser investigado nos Estados Unidos pelo crime de lavagem de dinheiro.

Divulgação
Bispa Sônia
Bispa Sônia
Além disso, Sônia e Estevam Hernandes entraram nos Estados Unidos com US$ 56 mil (em espécie), mas declararam para a alfândega que não possuíam mais do que US$ 10 mil.

Para os promotores do Gaeco, a prisão deles com o dinheiro não declarado confirma as práticas cometidas no Brasil.

Segundo eles, o Gaeco pediu a cooperação da polícia norte-americana para efetivar a prisão dos fundadores da Renascer.

Os promotores disseram não poder dar mais informações sobre o caso, pois o processo tramita no Brasil em segredo de Justiça.

Divulgação
Apóstolo Estevam Hernandes
Apóstolo Estevam Hernandes
Procurado pela reportagem, o advogado do casal, Luiz Flávio Borges D'Urso --que foi reeleito presidente da OAB-SP (Ordem dos Advogados do Brasil)-- não foi encontrado para comentar a prisão. A assessoria da Renascer informou não ter conhecimento da prisão do casal Hernandes.

A Renascer foi fundada pelo casal em 1986 e possui cerca de 1.500 templos no país.

Acusações

No final de dezembro, o casal conseguiu uma liminar no STJ (Superior Tribunal de Justiça) revogando o pedido de prisão preventiva que havia contra eles. Até então, eles eram considerados foragidos. No Brasil, Sônia e Estevam são acusados de lavagem de dinheiro, falsidade ideológica e estelionato.

Reportagem publicada pela Folha no dia 25 de outubro informava que um ex-funcionário da Renascer, que se identificou como "J", disse que o dinheiro arrecadado entre os fiéis era usado para pagar funcionários de empresas dos Hernandes. Assim, sobravam mais recursos para que as empresas do grupo comprassem bens.

Numa outra denúncia, o Ministério Público de São Paulo acusou os Hernandes e o bispo primaz Jorge Luiz Bruno de falsidade ideológica. Eles teriam montado uma igreja "laranja", chamada Internacional Renovação Evangélica, para livrar a Renascer de processos.

Segundo a denúncia, a igreja Internacional Renovação Evangélica, criada em 2004 por Jorge Luiz Bruno, não existe fisicamente. No endereço indicado na ata de fundação --rua Maria Carlota, 879, na zona leste de São Paulo-- funciona um templo da Renascer.

Os promotores do Gaeco (Grupo de Atuação de Repressão ao Crime Organizado) Arthur Lemos, Eder Segura, Roberto Porto e José Reinaldo Carneiro --que fizeram o pedido de prisão preventiva-- não quiseram se manifestar, pois o processo está sob segredo de Justiça.

Leia mais
  • Teoria da Prosperidade, expansionismo e música são base da Renascer
  • Justiça decreta prisão preventiva de fundadores da igreja
  • STJ concede habeas corpus a fundadores da Igreja Renascer
  • Foragido, líder religioso prega por rádio
  • Livro "Políticos do Brasil" mostra evolução do patrimônio dos deputados

    Especial
  • Leia a mais sobre a bispa Sônia
  • Leia mais sobre o apóstolo Estevam
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    TV Smart TV Smart HDMI, LED, Full HD a partir de R$ 999,99

    Refrigerador Refrigerador Side By Side, Duplex, Frost Free a partir de R$ 849,00

    Home Theater | Tênis | Mais...

    Voltar ao topo da página