Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
01/11/2007 - 20h31

Relatório da União acusa operação policial no Rio de "execução sumária"

Publicidade

da Folha Online

Um relatório elaborado por três peritos forenses da Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República afirma que 6 das 19 pessoas mortas em 27 de junho passado durante uma megaoperação policial no complexo do Alemão, na zona norte do Rio, foram baleadas no rosto. Em dois casos, os peritos afirmam haver "evidências de morte por execução sumária e arbitrária".

O documento foi elaborado pelos peritos com base em laudos cadavéricos e fotos feitos no IML (Instituto Médicos Legal) do Rio e com base em resultados de exames de balística feitos pelo Instituto de Criminalística.

Das 19 pessoas mortas, 14 foram baleadas na parte superior do corpo. Em média, cada pessoa morta na megaoperação levou 3,84 tiros --algumas foram atingidas por disparos saídos de mais de uma arma. Conforme os peritos, dos 70 tiros que atingiram os 19 mortos, 54 foram dados em partes mortais do corpo, sendo 5 a curta distância.

O relatório deu origem a uma troca de acusações entre o governo federal e o Rio.

Os peritos contratados pela União dizem que foi impossível reconstituir as mortes "em face à ausência de dados"; criticam o fato de as roupas dos mortos não terem passado por exames periciais; e "ressaltam" a "grande quantidade de munição de uso restrito apreendida".

Para eles, nos dois casos em que teria havido "execução sumária", as vítimas foram atingidas primeiro por um tiro no crânio, de trás pra frente, e depois por um tiro de frente pra trás --um no tórax, outro na face. Para os peritos, é certo que as vítimas não puderam se defender.

Outro lado

Em nota, os peritos do Rio afirmam que as roupas dos mortos não foram analisadas porque foram retiradas pelas equipes dos hospitais para onde os mortos foram levados; e que, nos casos de suposta "execução sumária", não há elementos que permitam determinar qual foi a seqüência dos disparos --os dois poderiam ter ocorrido simultaneamente.

O secretário estadual da Segurança Pública do Rio, José Mariano Beltrame, também reagiu ao laudo federal. "É público e notório que o relatório foi encomendado sob pressão daqueles que deturpam a justa causa dos direitos humanos. Esse relatório pouco pode revelar sobre os fatos, gerando apenas confusão."

Em nota, Beltrame ressaltou que os peritos da secretaria federal não estiveram no Rio, "o que o desqualifica [o trabalho] sob a ótica da ciência da perícia técnica"; e que "becos e ruelas de favelas, o comportamento e o armamento proibido dos traficantes restringem o alcance dos manuais de perícia".

Segundo Beltrame, três inquéritos policiais fiscalizados pelo Ministério Público Estadual apuram o caso, e mais de 50 pessoas já foram ouvidas.

Acompanhe as notícias da Folha Online em seu celular: digite wap.folha.com.br.

Comentários dos leitores
EMERSON Carlos de Oliveira (1) 05/11/2008 17h31
EMERSON Carlos de Oliveira (1) 05/11/2008 17h31
Estamos assistindo o filme real do cotidiano brasileiro - o problema institucional de segurança - ocasionado nos últimos anos - 1985-2008 - sendo responsabilidade única de civis - políticos e partidos políticos - que na maioria se preocuparam com seus próprios interesses pessoais em detrimento das aspirações legitimas da coletividade do povo brasileiro. Os problemas de criticar sem solucionar de na vale. Pela Legislação Atual nem à Polícia Federal pode operar em investigações sobre os políticos por causa da imunidade. Já o Judiciário é desinformado vivendo de utopias se basendo em processos feitos por policiais torturadores. Os problemas de segurança são o ocasionados pela fome, miséria e ausência do Poder Pública em Gestão Planificada - prática e válida - o que fizeram com o EXÉRCITO BRASILEIRO no Morro da Providência é uma traíção. Quem trabalha contra o EXÉRCITO BRASILEIRO trabalha contra à nação. Os soldados não devem nada e não mataram esses jovens, que hoje elementos políticos ladrões-corruptos fazem falsas acusações contra nosso Baluarte, nosso Arcabouço, porque esses elementos políticos e partidos políticos de fato trabalham contra a Nação Brasileira. O EXÉRCITO BRASILEIRO é a autência Segurança Nacional - adestrada para instituir a Segurança Geral do BRASIL. Temos que nos acordar quanto a Falsa Força de Segurança N]Nacional feita pelos ladrões do colarinho branco de quadrilhas de partidos políticos.
Iure et facto, O GENERALÍSSIMO - victormagnobrasil@bol.com.br
sem opinião
avalie fechar
Cristiano Garcia (206) 05/07/2008 19h09
Cristiano Garcia (206) 05/07/2008 19h09
Não voto por partido, mas destino meu voto para a pessoa que eu julgue suficiente ao exercicio do mandato. Considero todas as obras sociais, algo de relevancia para os menos favorecidos e tambem para o crescimento economico. A injeção de dinheiro no mercado através de programas sociais, alem de melhorar a qualidade de vida da pessoa favorecida, tambem serve para acelerar o processo de distribuição de renda e crescimento economico de uma nação. O dinheiro que o necessitado recebe dos programas sociais, não vai pra poupança e nem para investimento especulativo. Esse dinheiro circula.
Por essa razão, abomino o PT,( e pensar que fui um admirador desse partido ), a antiga freirinha pudorada (ao menos parecia) e que agora mostrou sua verdadeira face, mostrou qual é sua verdadeira "ética", mas admiro os programas sociais e corajosos do Presidente Lula.
Não acredito em religiões, mas admiro o trabalho social do sr. Crivella, porque realmente ele sabe o que faz. E gostaria que os criticos das politicas sociais não ficassem apenas como papagaios repetindo aquilo que não entendem. Vão estudar economia, mas mudem o foco, priorizando o homem e não o capital. E se voce nunca passou fome na vida, voce não esta apto para falar contra politicas sociais. Parabens ao presidente Lula e ao senador Crivella.
Um país só cresce com distribuição de renda e consumo.
O resto é bullshit que o FMI enfia goela abaixo dos serviçais, dos mais fracos, e dos papagaios.
14 opiniões
avalie fechar
andre messias (158) 05/07/2008 01h10
andre messias (158) 05/07/2008 01h10
Bom Raymundo,como você é de convicções firmes ainda que erradas,em nenhum momento as mais de 700 famílias que tiveram seus barracos restaurados e transformados em moradias dignas,acredito eu concordam com seu pesamento rasteiro...Você vê que é uma perseguição,político-religioso-televisivo,o César Maia,fez o favela-bairro 1 e 2 para(com dinheiro público e foi mostrado que gastou mais do que usou,está construindo a cidade da música,uma obra faraônica e deu o nome de Roberto Marinho,por que será?Com um orçamento absurdo e já estourado TUDO COM DINHEIRO PÚBLICO)Para ajudar sua"candidata"construirá o favela-bairro 3(advinha com dinheiro da onde???)E NINGUÉM FALA NADA!!!SEM CONTAR QUE A CIDADE DO RIO ESTÁ ABANDONADA...Aí vem um tenente-bandido(que fique bem claro que a culpa também não é do exército)entrega uns garotos não de traficantes(ninguém foi atás dos traficantes,diga-se de passagem)Aí é fácil;"COLOCA A CULPA NO CRENTE SAFADO".Pronto tá resolvido o problema,palmas para a Globo,para a imprensa"marrom"e palmas para os preconceituosos que julgam sem pensar...UM ABRAÇO!!! 24 opiniões
avalie fechar
Comente esta reportagem Veja todos os comentários (349)
Termos e condições
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

TV LED TV LED HDMI, Full HD a partir de R$ 899,90

Geladeira Geladeira Side By Side, Duplex, Frost Free a partir de R$ 849,00

Home Theater | Tênis | Mais...

Voltar ao topo da página