Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
03/01/2007 - 23h59

Saiba o que a elite gay vai vestir no verão; leia destaques GLS

Publicidade

SÉRGIO RIPARDO
Editor de Ilustrada da Folha Online

O bicho vai pegar em 2007. Será um dos verões mais quentes da história. Os corpos terão de ficar mais expostos. Há ainda a saudável renovação de visuais. Muitos modelitos datados e manjados merecem ir para a cesta do lixo ou para a caridade. Nas liquidações deste mês, evite a repetição. Descarte estampas, cortes e cores que sempre inundam seu guarda-roupa. Lembre-se: na pista de uma boate ou no balcão de um bar, o que você veste é seu cartão de apresentação. Nada de choramingar que o mundo é assim tão cruel e fútil. A seguir, confira um guia preparado com base nas opiniões implacáveis de um grupo de bees descoladas, ratos de araras de lojas de grife em São Paulo.

Jogue na fogueira

1- Todas as camisetas com número de times nas costas. Insistir nessa moda é passar recibo de cafona
2- Baby look branca. Por mais que seu corpo seja o mais sarado do mundo, essa peça virou RG de pintosa brega
3- Camisa de tecido amassado. Só use se você quiser ter um pretexto para conhecer algum vendedor da C&A
4- Manga longa por baixo de camiseta de manga curta. Visual batidíssimo. Só falta cabelo como os "Strokes". Horripilante
5- Todas as cuecas com estampa de dragão, de pitbull ou algum motivo oriental. Nada é mais broxante e déjà-vu
6- Pulseirinhas coloridas de borracha. Quer ser solidário? Entre em alguma ONG ou adote uma criança africana
7- Camisa ou bermuda com estampa de camuflagem. Saddam já foi enforcado. Precisa insistir nessa estética de guerra?!
8- Calça capri cáqui ou safári. Suas pernas podem até ser grossas, o melhor do seu visual. Mas pelo amor de Deus...
9- Cuecas que prometem levantar sua auto-estima. Todo mundo vai saber que você precisa desse tipo de ardil
10- Mochila com alças que fecham no peito. É pochete gigante disfarçada. Só falta o celular na bolsinha. É o fim da picada

Use, mas resista

1- Cinto de rebite. É símbolo dos emos, mas há nas boas lojas versões mais sofisticadas e criativas desse estilo.
2- Camiseta com estampa de "smile", gatinhos, figuras orientais e filmes cults. Ainda dá para achar peças surpreendentes
3- Tênis estilo "All Star". A indústria não pára de reinventar o modelo. É prático, mas está começando a ficar overdótico
4- Jeans rasgado. As grandes marcas ainda insistem nessa atitude, mas já não colocam tanto a mão no fogo nessa modinha como antes
5- Tiara. Já foi transgressor para deuses de cabelos longos. Ainda dá um charme. Nunca para adeptos da chapinha
6- Cueca com nome da marca gritando no elástico. Uma Calvin Klein, uma D&G e uma Foch, ainda dá para passar
7- Moicano. Ainda vai, embora tenha se popularizado muito. Prefira o tipo mais radical, como o do Heitor Martinez
8- Calças com muitos bolsos. Nas araras, ainda é possível achar modelos inusitados. Mas evite cores como cinza e preto
9- Piercing e argolas. Era hard, virou auto-afirmação adolescente. Mas ainda dá o que falar. Karina Bacchi que o diga
10- Fios brancos do tocador de MP3. Era ótimo dar pista de ter um iPod. Mas a pirataria e os ladrões estragaram a festa

Se joga

1- Bermudas e camisas de surfistas. Viva o Havaí. Viva Rodrigo Santoro e sua camiseta floral. Monte uma grife de surfe e fique milionário
2- Máquina zero no cabelo. Ótimo para disfarçar início de calvície, né, Justin Timberlake? Ponha o seu Vin Diesel para fora
3- Dread. Loiros estão mais afros. O contraste do cabelo liso com o dread é tudo. Pena que dói muito e, se não cuidar, fede
4- Sungas minúsculas. Infelizmente os ursos vão sofrer. Mas samba-canção já era. Chega de retrô. Dá-lhe, fio dental
5- Anéis do poder, de prata, imensos. Busque os modelos menos femininos, com aspecto mais bruto. Super Gênios, ativar!
6- Cores em alta: marrom, ocre, verde musgo, cinza claro, vermelho e amarelo. Dê um tempo no preto, no laranja e no azul
7- Acessórios em couro, tipo uma pulseirinha, uma bolsa bacana. Morte ao plástico, ao sintético. É chão. É terra. É praia
8- Camisetas de tecnologia antitranspirante. Grifes para esportes radicais, como The North Face e Columbia, em alta
9- Shortinhos de tenistas. É o oposto da calça capri. Nada de esconder as coxas
10- Chinelos. Os modelos baixinhos, tiras discretas. Nada de vida franciscana. As pedicures vão ficar ricas neste verão


Chip legal

Divulgação
Hallan Moulin montou blog sobre cotidiano gay
Hallan Moulin montou blog sobre cotidiano gay
Jovens usam seus blogs para sair do armário e dividir experiências. No Brasil, uma dessas páginas é o Xpoise.net. Esse é um dos projetos do capixaba Hallan Moulin, 19, que mora em Leme (SP). Gay assumido, ele fala sobre as dificuldades de contar tudo para os pais. Além de confissões, Hallan também faz ilustrações com estilo pop, em que o corpo é um dos temas preferidos. Na geração de Hallan, a internet é mais relevante que a TV. "Não costumo ver muita TV. Gosto muito de teatro também. Meu namorado é ator, falando nisso."




Divulgação
Trabalho de Hallan Moulin
Trabalho de Hallan Moulin


Folha Online - Sua orientação sexual influencia seu trabalho?

Hallan - Falam que gay é mais criativo. Às vezes, concordo, mas outras vezes, não. A pessoa não se torna criativo por ser gay ou hétero. Conheço muitos designers gays e héteros com o mesmo nível de criatividade, cada um em seu estilo.

Doutor, sou gay

Adolescentes gays não confiam muito em seus médicos. Os lolitos temem ser discriminados ou constrangidos, principalmente se um parente estiver no consultório. Só 35% revelam sua orientação sexual aos médicos, embora a maioria (66%) admita essa informação seja importante para o profissional de saúde oferecer um melhor atendimento. A pesquisa da Universidade da Califórnia e do instituto Rand Corporation ouviu 131 jovens gays, de ambos os sexos, entre 14 e 18 anos.

Celeiro de drags

Divulgação
Victor é dono da Blue Space
Victor toca Blue Space
A Blue Space, na Barra Funda (r. Brigadeiro Galvão, 723, zona oeste), consolidou em 2006 a fama de ser o melhor palco de shows de drags e gogo boys da capital. As performances lotam a casa no final de semana. Thalia Bombinha, Silvetty Montilla e outras bonecas satirizaram tudo, das eleições a programas de TV. A boate já revelou nomes como Alexia Twister, Danny Cowlt e Yuri Mix. Suas apresentações viraram hits no YouTube. "Essa repercussão toda nos surpreendeu", diz o dono da casa, que se apresenta apenas como o "Victor da Blue Space", 54, sem revelar o sobrenome.

Gay assumido, ele viu o potencial desses shows na época em que era gerente da sauna Fragata. Em maio de 2006, Victor comprou a Nostro Mundo
(rua da Consolação, 2554), clube gay mais antigo de São Paulo, que completou 35 anos em setembro passado, após uma reforma.

O ego das drags prejudica? "Artistas têm sensibilidade aflorada. Tento evitar problemas. O elenco é apresentado em ordem alfabética." Ele não faz esforço para atrair também o público hétero. "Não se mistura água com óleo. Quando assediados, os machões saem na porrada. Meu público é 99% de homens gays, entre 18 e 50 anos. Tem desde o cara da mansão do Morumbi ao que mora em Itaquera."

Retorno

Alexandre Frota voltou a trabalhar na noite gay. O fortão bateu ponto na na festa de Réveillon da boate carioca Le Boy, aquela em que o deputado federal Clodovil recentemente dançou ao som de "Promiscuous", hit de Nelly Furtado. Frota tinha dado um tempo na vida de gogo boy, após ter parado no hospital para curar uma pneumonia contraída devido a suas apresentações só de sunguinha, em meio ao frio, no período da parada gay de São Paulo.

Quem vai ficar nu?

Divulgação
Diego, 25, é administrador em São Paulo
Diego, 25, é administrador em São Paulo
Divulgação
Airton, 25, é designer no Rio de Janeiro
Airton, 25, é designer no Rio de Janeiro













Na próxima terça-feira (9), começa a sétima edição do "Big Brother Brasil". A Globo divulgou as imagens dos 16 participantes. São oito homens e oito mulheres. A emissora não informou se há algum gay assumido ou lésbica no grupo. A julgar pelos padrões de beleza impostos por revistas de pelados e suas escolhas anteriores, eis duas apostas de candidatos que podem receber algum tipo de convite para ensaio de nudez: o administrador Diego, 25, e o designer Airton, 25.

Guerra das cabeças

A iluminação intensa e a proliferação de barracas de lanches afugentaram muita gente do Autorama, tradicional ponto de paquera em um dos estacionamentos do parque Ibirapuera. Mesmo assim, o local ainda é um dos preferidos da turma motorizada na calada da noite. Na semana passada, rolou uma disputa inusitada. Duas bees com longas madeixas oxigenadas chamavam atenção sacudindo a cabeça, freneticamente. Um som barulhento instalado em um carro dava o ritmo. Logo se formou uma platéia em volta, tipo torcidas organizadas. Quem não gostou nada de ser ofuscado pelo show das bees foi um boy que se acariciava, encostado em uma árvore.

Jade

Divulgação
Bailarino de dança do ventre anima salão
Bailarino de dança do ventre anima salão
Na região dos Jardins, um dos salões freqüentados pelos gays é o Yes, no número 2767 da rua da Consolação. Sérgio Guimarães, dono do espaço, teve uma idéia das arábias para distrair os clientes. Uma vez por mês, o bailarino Ryan Colligan faz uma apresentação de dança do ventre, no meio do salão. O buchicho é tanto que pedestres param diante da parede de vidro do salão e dão uma espiadinha. Ryan é um dos poucos bailarinos que arriscam na dança do ventre. Ele já apareceu na novela "O Clone".

Fim de pendência

Em Nova York, a boate Roxy, espécie de The Week local, reabriu após resolver pendências fiscais com a prefeitura e voltou a lotar. Não foi a primeira vez que a casa noturna, uma das mais mais badaladas da cidade, foi obrigada a fechar. Em 2005, a polícia lacrou a Roxy, alegando venda de bebidas para menores, o que negado na época pelo proprietário Gene DeNino.

Retratos da parada

A Prefeitura de São Paulo vai gastar R$ 10 mil em filmes sobre os dez anos da parada gay. Essa é a soma dos prêmios em dinheiro para as três primeiras colocações (R$ 5.000, R$ 3.000 e R$ 2.000). Cada vídeo pode durar entre cinco a dez minutos. As inscrições vão até o começo de março. Dez finalistas vão ser exibidos em maio. O anúncio dos vencedores sai entre 7 a 10 de junho, na semana da parada na av. Paulista. As regras do concurso estão disponíveis no portal da prefeitura.

Dicas de sites

WetBoxersGuy é um blog que só reforça a aposta de que a onda agora na estética gay é adotar um visual esportivo e bem sexy, como o adotado por craques das "bolas". Como tudo precisa de um rótulo, os marqueteiros já difundem o termo "sporno", derivado da palavra "sport" e "pornô".

Armário X traz dicas sobre como assumir a homossexualidade para os pais e amigos, tira dúvidas sobre leis, saúde e religiões, além de reunir depoimentos e recomendar links de sites e blogs brasileiros.

Dicas de vídeo

"Todos Me Miran" é o clipe da "rainha dos gays" Gloria Trevi, a "Madonna mexicana" que ficou presa no Brasil acusada de corrupção de menores. Ela jura, por Nossa Senhora de Guadalupe, que a música não é um plágio de "I Will Survive". Só fã roxo para acreditar.

Barraco na tela é um vídeo sobre o descontrole de seu micro, principalmente naqueles momentos em que ele está infectado por algum vírus contraído em algum site pornô, chat ou no Second Life, novo foco de pragas destrutivas, apesar de ser moda entre os antenados.

"Destaques GLS" é publicada às quartas. Endereço para envio de comentários e sugestões: sergio.ripardo@folha.com.br. Só serão respondidos e-mails de remetentes identificados

Leia mais
  • Veja quem saiu do armário em 2006
  • Bambam quer bater recorde de Frota
  • Travestis pedem comida a políticos de SP
  • Globo coloca ex-BBB gay na geladeira
  • Lista revela 10 gays mais poderosos
  • Guia ensina turista gay a usar 8 idiomas

    Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre destaques GLS
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página