Saltar para o conteúdo principal Saltar para o menu
 
 

Lista de textos do jornal de hoje Navegue por editoria

Esporte

  • Tamanho da Letra  
  • Comunicar Erros  
  • Imprimir  

Juca Kfouri

Rei da cocada verde

A torcida mais feliz entre as dos grandes paulistas hoje é a do Palmeiras, que bateu a do Timão

A MASSA verde está por cima e orgulhosa. Vê, como nenhuma outra entre as torcidas dos quatro grandes de São Paulo, seu time como o mais perto de ganhar o título de um Brasileiro nesta temporada.

E não me venham com lembranças de que esta proximidade se deve à Série B, porque, é sabido, coração de torcedor não tem divisão.

Há nove jogos sem conhecer uma derrota --com oito vitórias, três delas de virada no segundo tempo, como nas duas últimas-- o torcedor palmeirense começa a dar sinais de estar adotando o time a ponto de comparecer com 29 mil pagantes no sábado, no Pacaembu, quase 4.000 a mais que os corintianos que foram ao mesmo Pacaembu ontem.

É claro que você pode acrescentar uma porção de poréns, até o de lembrar que o Palmeiras só lidera o campeonato porque o Chapecoense tem um jogo a menos e as demais óbvias maldades que ocorrerem.

Mas enquanto o Santos sofre com a humilhação catalã e o São Paulo padece no Canindé para fugir da zona do rebaixamento, o Palmeiras vive dias de reencontro com sua gente, sem minimizar os desafios que tem pela frente, o maior deles, no momento, o Furacão paranaense pela Copa do Brasil, ganha no ano passado com um time do mesmo nível.

O Corinthians, tudo bem, não só é o campeão estadual como ainda ganhou a Recopa do rival que é comum a ambos, além de estar mirando a ponta da Série A, quatro pontos atrás do líder Cruzeiro.

Mesmo assim, não vive um momento feliz como os palmeirenses.

De resto, cá entre nós, quando o Corinthians viveu sua rica experiência na Série B, eu não poderia escrever nada nem parecido porque o mundo viria abaixo.

Agora, posso e não quero perder a chance de lembrar que torcedores querem ver seus times vencerem, onde for, contra quem for, a hora que for. Tudo que o Palmeiras está proporcionando aos seus torcedores.

Longe de mim achar que a Série B faça bem porque não me chamo Poliana. Só que tem mais: a Série A sente mais falta do Palmeiras que o Palmeiras da Série A.

Tomou?

ACREDITA?

José Maria Marin acredita tanto nas coisas que diz como nas que diz ouvir.

Se é verdade, como disse ao jornalista Fernando Rodrigues, que ouviu de Lula que ele não fará campanha para ninguém na eleição da CBF, sabe perfeitamente que a declaração merece tanta credibilidade como a dele, Marin, ao dizer que a faixa de terreno público de que se apropriou em Cidade Jardim "era uma praça abandonada que servia como esconderijo para assaltantes".

Anote: nem mesmo a reeleição de Marin está descartada, apesar de ele garantir o contrário.

Anote mais: não se surpreenda se, em sua infinita cara de pau, Marin ainda convidar Andres Sanchez para ser seu vice...


Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página