Saltar para o conteúdo principal Saltar para o menu
 
 

Lista de textos do jornal de hoje Navegue por editoria

Esporte

  • Tamanho da Letra  
  • Comunicar Erros  
  • Imprimir  

Demitido

CBF despede Mano Menezes a menos de dois anos para a Copa no Brasil

MARTÍN FERNANDEZ DE SÃO PAULO

O técnico Mano Menezes, 50, durou 40 partidas no comando da seleção brasileira. Quando finalmente achou um time, perdeu o emprego.

Luiz Felipe Scolari, campeão do mundo em 2002, e Tite, técnico do Corinthians, são os favoritos para dirigir o time nacional na Copa das Confederações do ano que vem e no Mundial de 2014.

O sucessor de Mano deve ser anunciado em janeiro. E estreia ante a Inglaterra, em Wembley, em 6 de fevereiro.

O ex-treinador do Grêmio e do Corinthians foi demitido ontem pelo presidente da CBF, José Maria Marin. Quem o comunicou da demissão, por telefone, foi o diretor de seleções Andres Sanchez, que permanece no cargo.

A decisão foi anunciada ontem à tarde, após uma reunião na sede da FPF (Federação Paulista de Futebol) -e não na sede da CBF, no Rio.

A intenção de Marin e de seu vice-presidente, Marco Polo Del Nero, é ter no comando do time nacional

um treinador escolhido por eles, que saiba que está ali por uma decisão da atual cúpula da confederação.

Marin e Del Nero herdaram Mano. Ele fora contratado por Ricardo Teixeira, então presidente da CBF, em 2010. A intenção, anunciada à época, era "renovar" a equipe nacional, que ficou quatro anos sob o comando de Dunga.

Nos dois anos sob a gestão de Mano, a seleção perdeu os dois torneios importantes que disputou: Copa América-2011 e Olimpíada de Londres-2012.

Com ele, a equipe também falhou em amistosos contra grandes rivais -foi vencida por França, Argentina (duas vezes), Alemanha e México.

Mano, porém, tem números favoráveis. Em 40 jogos, foram 27 vitórias, seis empates e sete reveses, assinalando aproveitamento de 72%.

O treinador venceu os dois Superclássicos das Américas, duelos entre as seleções locais do Brasil e da Argentina.

No segundo semestre deste ano, Mano Menezes finalmente encontrou a formação que considerava ideal: sem um centroavante fixo e com quatro jogadores de movimentação à frente de dois volantes também leves.

Assim goleou a China, o Iraque, o Japão e empatou com a Colômbia. Assim pretendia armar o time em 2013.

Ao final de seu último jogo pela seleção, em Buenos Aires, nesta semana, o técnico fez um apelo por "serenidade" ao comando da CBF.

Foi ignorado.

Em 40 partidas, Mano Menezes convocou 102 jogadores, número bem superior ao de Dunga no mesmo período.

Ontem, às 16h06, a CBF publicou uma nota em seu site para anunciar a demissão do treinador e de toda a comissão técnica. Duas horas depois, Mano usou o Twitter.

"Fica aqui meu agradecimento [...] em especial aos jogadores e a todos que acreditaram no nosso trabalho."


Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página