Saltar para o conteúdo principal Saltar para o menu
 
 

Lista de textos do jornal de hoje Navegue por editoria

Ilustrada

  • Tamanho da Letra  
  • Comunicar Erros  
  • Imprimir  

Fora de catálogo, Ana C. Cesar voltará às livrarias

Companhia das Letras adquiriu prosa e poemas da poeta carioca e planeja volume no estilo do 'Toda Poesia', de Paulo Leminski

Nome maior da poesia dos anos 1970 ganha reedição no fim do ano, quando se completam 30 anos de sua morte

RAQUEL COZER ENVIADA ESPECIAL AO RIO

O bigodão de Paulo Leminski, que há sete meses ocupa lugar de destaque nas livrarias, ganhará em breve a companhia de uns óculos escuros redondinhos tão simbólicos da poesia brasileira dos anos 1970 quanto ele.

Há anos fora de catálogo, a obra híbrida de prosa e poesia da carioca Ana Cristina Cesar (1952-1983) foi adquirida, nos últimos dias, pela Companhia das Letras.

A casa planeja para novembro um volume alentado, no estilo do "Toda Poesia" de Leminski, que saiu em fevereiro com 5.000 exemplares e já vendeu dez vezes isso.

A partir de 2014, novas edições devem sair do acervo mantido desde 1999 no Instituto Moreira Salles, no Rio. A curadoria é de Armando Freitas Filho, amigo a quem a poeta delegou a responsabilidade de cuidar de sua obra.

Dona de uma poesia tão sedutora quanto ela própria, Ana C., como gostava de ser chamada, repercutia em seus escritos as influências pop, incluindo música e cinema, que marcaram sua geração.

Mas agregava a isso sua origem erudita --filha de sociólogo com professora de literatura, com mestrados pela UFRJ e pela Universidade de Essex, na Inglaterra, tem trabalho elogiado na área de crítica literária e tradução.

"Além do lado cult, que gera estudos na universidade, ela tem um viés pop que combina com as redes, um potencial que buscamos ressaltar na obra do Leminski", diz a editora Sofia Mariutti.

RETORNO

Ana C. teve apenas um livro publicado por editora em vida, "A Teus Pés" (1982), justo pela Brasiliense da qual poucos anos depois o editor Luiz Schwarcz sairia para criar a Companhia das Letras.

A obra trazia poemas inéditos junto ao conteúdo das edições independentes "Cenas de Abril" (1979), "Correspondência Completa" (1979) e "Luvas de Pelica" (1980).

Antes de morrer, um ano após a publicação de "A Teus Pés", ela teve o raro prazer para um poeta de ver sair uma segunda tiragem de seu livro. Com a última edição pela Ática datada de 2002, "A Teus Pés" hoje é oferecido em sebos on-line por preços que variam de R$ 70 a R$ 190.

A edição da Companhia das Letras deve ter cerca de 500 páginas, com os independentes, "A Teus Pés", o póstumo "Inéditos e Dispersos" (1985) e alguns textos de "Antigos e Soltos" (IMS, 2008). A meta é que custe menos de R$ 50.


Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página