Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
29/11/2012 - 02h30

Engenhos do brejo paraibano mostram produção de cachaça

DA ENVIADA À PARAÍBA

Além de ser uma boa lembrança para levar da Paraíba, a cachaça, um dos principais produtos regionais, rende um passeio diferente pelas cidades do brejo paraibano.

Orla paraibana tem cantos para agitar ou descansar
Gastronomia da Paraíba se divide entre sertão e mar

Numa região serrana, o brejo tem temperaturas mais amenas e abriga os engenhos de cana-de-açúcar responsáveis pela fabricação de algumas das aguardentes mais conhecidas do Estado.

Só a cidade de Areia conta com 28 engenhos produtores de cachaça e de rapadura. Suas casas de fachadas coloridas e arquitetura colonial fizeram com que Areia fosse tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). A cidade conserva o teatro Minerva, o mais antigo da Paraíba.

É em Areia que funciona o engenho Triunfo (0/xx/83/3362-2390), construído em 1994 e responsável pela produção da cachaça de mesmo nome. O engenho é administrado pelo casal Antonio Augusto e Maria Júlia Baracho, com a ajuda dos filhos.

Enquanto Antonio cuida da fabricação da bebida, Maria Júlia é responsável pelos passeios guiados. O local começou a receber turistas em 2006 e hoje atrai até 400 visitantes todas as semanas.

As visitas podem ser feitas todos os dias, das 9h às 11h30 e das 13h30 às 17h (aos domingos, o engenho só abre na parte da manhã). O ingresso custa R$ 5 e não é permitida a entrada de crianças e adolescentes.

A menos de 20 km de distância, na cidade de Alagoa Grande, é produzida outra cachaça bastante famosa na Paraíba. Passado de pai para filho, o engenho Lagoa Verde fabrica a bebida desde o século 19 e em 1946 criou a marca Volúpia (www.cachacavolupia.com.br ), que já recebeu prêmios.

Vanessa Correa da Silva/Folhapress
Fachadas coloridas no centro de Areia, cidade do brejo paraibano
Fachadas coloridas no centro histórico de Areia, cidade do brejo paraibano que abriga engenhos de cana-de-açúcar

O engenho recebe visitas todos os dias, das 8h às 16h. O tour é gratuito e conduzido por funcionários do local, que mostram as diferentes etapas do processo de fabricação da cachaça, desde a moagem da cana-de-açúcar até o engarrafamento, passando pela fermentação, pela destilação e pelo envelhecimento da bebida.

Com sorte, é possível ser acompanhado por Vicente Otávio Lemos, que pertence à quinta geração de proprietários do engenho e hoje administra o local.

Quando não está em seu escritório em João Pessoa, ele faz questão de acompanhar os grupos que visitam o Lagoa Verde, explicando o funcionamento do engenho, contando curiosidades sobre a cachaça e, com tempo, participando de uma boa conversa durante um almoço no restaurante do lugar. (VANESSA CORRÊA DA SILVA)

 
Envie sua notícia

Publicidade

As Últimas que Você não Leu

  1.  

Publicidade

Livraria da Folha

O Grande Hotel Budapeste

O Grande Hotel Budapeste

Wes Anderson

Comprar
O Viajante - Guia Chile

O Viajante - Guia Chile

Zizo Asnis

Comprar
Livre

Livre

Cheryl Strayed

Comprar
London London

London London

Rodrigo Rodrigues

Comprar

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Ar Condicionado Ar Condicionado Para combater o calor a partir de R$ 849,00

Samsung Galaxy Samsung Galaxy Os melhores modelos a partir de R$ 248,00

Celulares | Tênis | Mais...

Voltar ao topo da página