Sobrevoe de balão a Capadócia, na Turquia, em um voo 360º

DE SÃO PAULO

Campos verdes, vales e formações rochosas esculpidas pela erosão ao longo dos anos. Esse cenário está à disposição de quem sobrevoa de balão a Capadócia, na Turquia.

As imagens, gravadas por Kevin Bretzner, com produção da Emotion 360.

O vídeo pode ser visto no player acima ou no app Folha 360º. Lançado em março de 2017, ele é um aplicativo grátis de realidade virtual. A chamada VR (do inglês "virtual reality") permite que o espectador tenha uma experiência interativa ao acompanhar as imagens com os olhos do câmera, em 360º.

Uma vez dentro do aplicativo, que permite uma interação maior com o vídeo acima, é possível explorar as imagens de duas maneiras. Com os óculos de realidade virtual, o que amplia a sensação de imersão, e na tela do celular (basta fazer o download).

Também é possível acessar uma versão mais leve, disponível no YouTube.

O leitor também poderá acessar outros vídeos em 360º produzidos pela Folha: um tour pela Antártida, onde cientistas brasileiros reconstroem a Estação Comandante Ferraz, uma volta na pista do autódromo de Interlagos, passeios pela Baía de Guanabara e ao Cristo Redentor e a exploração de uma rara casa modernista no Pacaembu.

Para baixar o app, desenvolvido em parceria com a Beenoculus, basta fazer o download do Folha 360º na loja Google Play (usuários de aparelhos com Android que tenham sensor giroscópio) ou na App Store (usuário da Apple, com modelos de iPhone a partir do 5C).


Como funciona?

REALIDADE VIRTUAL COM OS ÓCULOS

> A experiência é mais rica com o uso de óculos especialmente desenvolvidos para o 360º
> Eles interagem em sincronia com o movimento da cabeça e a imagem acompanha o movimento do usuário
> A maioria dos óculos existentes no mercado tem um compartimento para inserir o celular
> Eles podem ser feitos de plástico ou de papelão
> Uma vez com os óculos, a sugestão é sentar numa cadeira giratória para usufruir melhor da experiência

Crédito:

SÓ COM O CELULAR

> Também dá para assistir aos vídeos somente com o uso do celular. Dessa maneira, a imersão não é tão completa, mas ainda é possível interagir com a cena movimentando o aparelho em todas as direções

Crédito:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.