ONG programava mutirão de cirurgias na Amazônia ao ser surpreendida por ação policial

Médico fundador da Saúde e Alegria diz que ação tenta criminalizar os ambientalistas

São Paulo

A ONG Saúde e Alegria, alvo de um mandado de busca e apreensão nesta terça (26) em uma ação policial que busca de suspeitos pelos incêndios em Alter do Chão (PA), organizava uma grande jornada de atendimento médico em Santarém (PA) ao longo dos próximos dias. 

Em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde e outras ONGs, como Expedicionários da Saúde e Renovatio, a Saúde e Alegria preparava um mutirão para propiciar 400 cirurgias no barco-hospital da organização.

Após a ação policial, a ONG também deve participar na sexta-feira (29) de um encontro de lideranças da região. 

A Polícia Civil do Pará cumpriu na manhã desta terça-feira (26) mandados de prisão preventiva contra quatro brigadistas de Alter do Chão. Um dos presos na operação policial é Gustavo de Almeida Fernandes, gerente de logística da ONG e que estava envolvido na organização da jornada cirúrgica do fim de semana. A polícia vasculhou computadores e documentos na sede da ONG.

“A população está mobilizada e aguarda com expectativa pelos atendimentos. Esperamos que não haja prejuízo”, disse o prefeito de Santarém, Nélio Aguiar (Democratas), que se disse surpreso com o fato de a polícia ter indicado brigadistas como autores de incêndios criminosos na região.

“Não queremos fazer pré-julgamentos. Vamos esperar a conclusão do inquérito e que os acusados tenham garantido o amplo direito de defesa.”

O médico Eugênio Scannavino, fundador da Saúde e Alegria, vencedor do Prêmio Empreendedor Social 2005, se diz surpreso com a “violência e o caráter intimidatório da ação policial”. “Essa tentativa de criminalizar os ambientalistas paralisou a nossa ONG”, lamenta.

“Levaram todos os nossos computadores, celulares, papeladas de convênio e contratos”, diz. 

 Canoeiro no igarapé do rio Tapajós na Comunidade de Magurari, em Santarém (PA); comunidade é atendida pelo médico infectologista Eugenio Scannavino Netto criador  do projeto Saúde e Alegria, que combate a diarreia na Amazônia e recebeu o prêmio de Empreendedor Social 2005 da Folha
Canoeiro no igarapé do rio Tapajós na Comunidade de Magurari, em Santarém (PA); comunidade é atendida pelo médico infectologista Eugenio Scannavino Netto criador do projeto Saúde e Alegria, que combate a diarreia na Amazônia e recebeu o prêmio de Empreendedor Social 2005 da Folha - Renato Stockler/Folhapress

Na semana passada, a Saúde e Alegria foi reconhecida entre as 100 Melhores ONGs do Brasil.

A organização que atua na Amazônia há 30 anos promoveu um curso de formação de 20 brigadistas voluntários em Alter do Chão, em projeto em conjunto com Corpo de Bombeiros e o ICMBio, financiado pela Rainforest Alliance.

A organização internacional sediada em Nova York e Amsterdã, que opera em mais de 60 países, também doou equipamentos para combate aos incêndios na região. 

Outros dois cursos de formação estavam previstos para os próximos dias na sede agora esvaziada da Saúde e Alegria.

Integrantes da Rede Folha de Empreendedores Socioambientais se solidarizaram com Eugênio Scannavino e equipe.

“As coisas estão viradas do avesso. Pessoas do bem transformadas em gente do mal. Voluntários que fizeram esforço enorme para apagar o incêndio agora vão parar na cadeia”, lamenta Cláudio Pádua, do Instituto Ipê.

O Observatório do Clima afirmou em nota que "repudia a tentativa de criminalização de ativistas ambientais feita pela Polícia Civil do Estado do Pará, subordinada ao governador Helder Barbalho, do MDB".  

"A prisão teve como único intuito de intimidar as pessoas que trabalham pelo desenvolvimento sustentável da Amazônia e pelo bem-estar de sua população", diz a ONG.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.