Polícia Civil prende quatro PMs em operação contra milicianos no Rio

Grupo cobrava taxas de segurança aos moradores de Mesquita, na Baixada

Sérgio Rangel
Rio de Janeiro

A Polícia Civil do Rio de Janeiro prendeu nove pessoas numa operação no início da manhã desta quarta (14) para desarticular uma milícia em Mesquita, município da Baixada Fluminense.

Quatro dos presos são policiais militares. Apontado como líder do grupo, o policial Marcio Lima da Cunha, conhecido como Zebu, está entre os detidos.

Policial militar para veículos na zona norte do Rio, em fevereiro
Policial militar para veículos na zona norte do Rio, em fevereiro - Danilo Verpa - 21.fev.2018/Folhapress

Foram levados pela operação os policiais militares André Lemos da Silva, Natanael de Oliveira Gonçalves e Tiago Costa Gomes, além do ex- policial militar Paulo José Lírio Salviano

Até as 8h, seis mandados de prisão foram cumpridos. Um outro integrante do grupo foi preso em flagrante.

A operação conta com o apoio do Ministério Público e da Corregedoria da Polícia Militar. Os policiais também fazem buscas no Batalhão da PM do município.

Segundo os investigadores, o grupo cobrava taxas de segurança aos moradores de um dos bairros de Mesquita e também explorava o comércio de água, cestas básicas, do sinal de televisão, além do transporte público.

Na investigação, um comerciante local disse que o grupo impôs o pagamento de R$ 1.000 de “taxa de segurança” para suas duas lojas permanecerem abertas.

Segundo relatos, os integrantes do grupo andavam com armas de grosso calibre pelo bairro. 

O Exército não participou da operação. Desde que o governo federal autorizou o uso das Forças Armadas no Rio por meio de um decreto em julho do ano passado, as operações do Exército ignoram áreas dominadas por milícias.

Nesta terça (13), o novo chefe da Polícia Civil do Rio de Janeiro, Rivaldo Barbosa, tomou posse defendendo o combate à corrupção dentro da instituição. Barbosa foi nomeado pelo novo secretário de Segurança do Rio, o general Richard Nunes.

No mês passado, o presidente Michel Temer nomeou o general Walter Braga Netto como interventor federal no Estado até dezembro. 
 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.