Professor é morto dentro de escola em Goiás; adolescente é apreendido

Caso ocorreu em Valparaíso (GO); os dois haviam tido uma discussão

Jéssica Nascimento
Brasília | UOL

Foi apreendido na manhã desta quarta-feira (1º) o jovem suspeito de ter assassinado o professor Júlio César Barroso de Sousa, 41, em Valparaíso (GO).

O crime ocorreu por volta de 15h da terça-feira (30), na Escola Estadual Céu Azul, a 35 km de Brasília . Segundo a Polícia Civil, o professor e o aluno, matriculado no segundo ano do ensino médio, tiveram uma discussão pela manhã. O adolescente então voltou ao colégio à tarde e disparou contra ele na sala dos professores.

Júlio César Barroso de Sousa, 41, assassinado por aluno em Valparaíso (GO)
Júlio César Barroso de Sousa, 41, assassinado por aluno em Valparaíso (GO) - Arquivo pessoal/UOL

A Polícia Militar, o Serviço de Atendimento Móvel de Emergência (Samu) e o Corpo de Bombeiros foram acionados, mas Sousa não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

Responsável pela investigação, o delegado Rafael Abrão afirmou que o crime ocorreu por vingança, já que Sousa, que também era coordenador do colégio, teria repreendido o aluno por ter brigado com uma professora.

O adolescente, de 17 anos, atirou primeiro nas costas do docente, que tentou correr, mas foi atingido na cabeça quando estava no chão.

"Júlio teria dito que iria transferir o aluno, já que ele dava muito problema. Discutiu com uma professora, a xingou e disse que iria matá-la. Então, o coordenador disse que iria mudá-lo de escola e chamaria a polícia. Tudo isso aconteceu de manhã. À tarde ele voltou, e cometeu o crime. Foi a sangue frio", disse o delegado.

Segundo a Polícia Civil, o crime ocorreu na hora do intervalo. "Houve pânico, corre-corre e gritaria", afirma Abrão.

Ele também conta que muitos jovens se esconderam dentro das salas e chegaram a pensar que se tratava de um massacre.

De acordo com o delegado, o adolescente já tinha antecedentes por ato infracional "análogo a roubo" e foi encontrado na casa de um amigo, no bairro do Pedregal, a 40 minutos de Valparaíso. 

Sousa deixa uma filha de três anos e um filho de seis.

Ele estava havia apenas quatro meses na escola estadual Céu em Azul, em Valparaíso (GO), e era tido pelos colegas como uma pessoa tranquila e educada.

Seus colegas de trabalho se reuniram na manhã desta quarta-feira para homenageá-lo. Vestidos de preto e exibindo um cartaz de luto na porta do colégio, pediram segurança.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.