Vereadores atendem gestão Covas e fazem lista de ciclovias a serem retiradas

Consultados por WhatsApp, eles dizem querer afastar as ciclovias de ruas com comércio

Fabrício Lobel Guilherme Seto
São Paulo

Vereadores aliados à gestão Bruno Covas (PSDB) fizeram uma lista de ciclovias que sugerem ser retiradas de São Paulo. 

A sugestão de remoção das vias ocorre enquanto a Prefeitura de São Paulo está em fase final do seu novo Plano Cicloviário. 

No fim de agosto, a Folha noticiou que o então secretário da Casa Civil, João Jorge (PSDB), enviou uma mensagem via Whatsapp apenas a vereadores da base aliada pedindo nomes de ciclovias que deveriam ser revistas ou eliminadas —embora com menos destaque, o texto dizia que sugestões de novas ciclovias também seriam aceitas. Vereadores da oposição reclamaram de não terem sido procurados.

Nesta sexta-feira (20), a Folha ouviu quatro vereadores da base aliada que dizem ter respondido ao pedido da prefeitura alertando para ciclovias que deveriam ser eliminadas. Cabe à Secretaria de Mobilidade e Transporte verificar se acata o pedido dos vereadores da base aliada.


Veja a lista de ciclovias que os vereadores sugerem que saiam de onde estão:

Cambuci: ruas da Glória, Junqueira Freire, Otto de Alencar, Teixeira Mendes, Cesário Ramalho, Dina Ana Néri, Alves Ribeiro, Teodureto Souto, Robertson e Inglês de Souza. 

Vila Mariana: Rua Calixto da Mota, avenida Dr. Ricardo Jafet e rua Madre Cabrini

Vila Clementino: Rua Primeiro de Janeiro

Vila Gumercindo: rua Santa Cruz

Vila das Mercês: ruas Italva, Marquês de Lages e Max Berg.

Moinho Velho: ruas Anatole França, Antonio Calandrielo e Elba.

Saúde: avenida Bosque da Saúde

Vila Romana: rua Coriolano

Lapa: rua Tomé de Souza

Quarta Parada: rua Siqueira Bueno

Belenzinho: rua Serra de Jairé


De volta à Camara Municipal, o vereador João Jorge disse que não colaborou com sugestões de retiradas de ciclovias. Ele diz receber muitas reclamações sobre ciclovias, mas que todos os trechos com problemas já estavam contemplados nos pedidos enviados pelos outros vereadores. 

Na maioria dos casos, os trechos estão na base eleitoral dos vereadores que fizeram as reclamações.

Todos os vereadores dizem apoiar a existência de ciclovias nas cidades. Eles argumentam que estão apenas pedindo o remanejamento de algumas delas, que sairiam de vias mais movimentadas e passariam para outras sem comércio e sem transporte público. Segundo os vereadores, muitas delas são subutilizadas.

O vereador Dalton Silvano, do DEM, disse que enquanto pensava em suas sugestões de remoção de ciclovias cogitou também a retirada da faixa de ciclistas da avenida dos Metalúrgicos, na zona leste. Mas que ficou convencido de que ela servia devidamente aos ciclistas locais.

Vereador Dalton Silvano lista ciclofaixas que gostaria de retirar da cidade
Vereador Dalton Silvano lista ciclofaixas que gostaria de retirar da cidade - Reprodução

Líder do PSDB na Câmara, o vereador Fábio Riva sugeriu que as ciclovias das ruas Coriolano e Tomé de Souza sejam passadas para vias paralelas menos movimentadas.

"Pedi para avaliarem as ciclovias subutilizadas. Não sou contra ciclovias, mas defendo que sejam remanejadas para ruas mais tranquilas, nas quais, inclusive, há menos risco para os ciclistas. É o melhor para todos", diz Riva. "A Coriolano tem comércio e é uma via que os ciclistas compartilham com os ônibus e com muitos carros. Na Fábia, paralela, não passa transporte público e é uma rua residencial. Estou pensando na segurança dos ciclistas."

O também tucano Aurélio Nomura, cujo eleitorado se concentra na zona sul, pediu a retirada das ciclovias nas ruas Primeiro de Janeiro e Madre Cabrini e também da avenida Bosque da Saúde.

Segundo ele, a ciclovia na Madre Cabrini foi criada na gestão Fernando Haddad (PT) em caráter provisório, enquanto a ciclovia na rua Domingos de Morais não ficava pronta. Como esta ciclovia deve ser inaugurada em breve, diz Nomura, não haveria mais necessidade de manter a que existe na Cabrini. 

Camilo Cristófaro, do PSB, diz que não quer a retirada de ciclovias, mas pede que elas sejam tiradas das ruas com comércio, que, segundo ele, tem sido muito prejudicado por essas rotas. Ele solicitou a mudança de rota das ciclovias nas ruas Santa Cruz, Siqueira Bueno, Serra de Jairé e Elba.

Questionado sobre ter enviado o pedido de remoção de ciclovias via Whatsapp, João Jorge disse que o meio de comunicação é corrente entre os parlamentares. Ele sugere ainda que existem vereadores na Câmara que não querem que nenhum metro de ciclovia seja retirado e que tumultuam a discussão sobre o tema.

Ele também nega ter procurado apenas membros da base aliada e disse que algum desencontro pode ter ocorrido, devido à lista de telefones desatualizada. 

Police Neto (PSD) rebate. "Não é verdade. Não recebi mensagem alguma. E quem pede a retirada do sistema cicloviário tem desprezo à vida", diz. O vereador lamenta o que chamou de deterioração da discussão sobre o novo Plano Cicloviário. "O prefeito está fazendo um grande investimento para dotar a cidade de vias que salvam vidas e uma minoria de vereadores joga contra a cidade", defende.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.