Ressaca engole faixa de areia, destrói barracas e deixa 6 feridos em Ubatuba

'Parecia filme de terror, vi turistas desesperados e, na correria, alguns foram pisoteados', relata banhista

Reginaldo Pupo
Ubatuba (SP)

A forte ressaca que atinge as regiões Sudeste e Sul do país desde o início do Carnaval provocou estragos em cidades do litoral norte de São Paulo neste domingo (23).

O nível do mar e ondas que chegaram a 3,5 metros de altura “engoliram” a faixa de areia de diversas praias da região, assustando moradores e turistas.

No início da tarde, ondas gigantes atingiram a praia do Tenório, na região central de Ubatuba, arrastando tudo o que havia pela frente. O local estava lotado de turistas que passam o Carnaval na cidade. Eles perderam barracas, celulares, roupas e pertences.

Os quiosques à beira-mar também foram atingidos, e os proprietários perderam mesas e cadeiras, levadas pelo mar. As tendas utilizadas para abrigar os banhistas do sol ficaram retorcidas. Assustados, muitos turistas deixaram a praia às pressas. 

Segundo relatos de testemunhas, banhistas foram arrastados pelas ondas e ao menos seis deles ficaram feridos. Uma mulher foi socorrida pelo GBMar (Grupamento de Bombeiros Marítimos) com torção no tornozelo.

A empresária Evelyn Filetti, 39, que estava na Mansão Tenório Beach Club, filmou o exato momento em que as ondas atingiram a faixa de areia. “As pessoas estavam desesperadas tentando recuperar seus pertences. Outras corriam no sentido contrário das ondas.”

Por estar no alto de um morro, onde fica a mansão, a empresária conseguiu observar as ondas antes que atingissem a faixa de areia. “Pegou todo mundo de surpresa e não deu tempo para salvar nada”, contou.

“Parecia um filme de terror. Vi muitos turistas desesperados, muita gritaria e, na correria, alguns banhistas foram pisoteados”, disse a publicitária Marcela Diniz Honório, 45, de São Paulo, que estava na faixa de areia e perdeu alguns pertences. “Inclusive, pelo tamanho da onda, vi uma mulher quase se afogar em plena areia. Foi horrível.”

Ainda em Ubatuba, a força do mar destruiu o calçadão da avenida Nove de Julho, próximo ao Aquário, no centro, que havia acabado de ser reformado pela prefeitura em dezembro passado, justamente após ter sido destruído por outra ressaca. Ninguém ficou ferido.

Por volta das 11h30, uma embarcação do GBMar retirou o corpo de um morador de rua que caiu de uma ponte na praia do Perequê-Açu, região central de Ubatuba, mas o caso não está relacionado com a ressaca, segundo o órgão.

INTERDIÇÃO

A Defesa Civil de Caraguatatuba, cidade vizinha a Ubatuba, interditou quatro quiosques na tarde deste domingo (23) na praia da Mococa, por causa da ressaca alta e do avanço do mar, que chegou a 1,13 metro por volta das 14h. Ninguém ficou ferido.

Alguns comerciantes tiveram que retirar materiais de trabalho do local, como geladeiras, freezers, mesas, cadeiras e maquinários. Segundo a prefeitura, a Defesa Civil está em alerta.

Em São Sebastião, a água do mar invadiu as galerias de águas pluviais e alagou diversas ruas do centro da cidade, localizadas próximas à avenida da Praia. A cidade ainda conta prejuízos de uma forte chuva que atingiu o município na última sexta-feira (21), alagando todo o centro histórico e deixando 33 pessoas desabrigadas. Ilhabela também teve ruas alagadas por causa da maré alta no bairro Barra Velha.

A Marinha do Brasil havia emitido um alerta sobre a ocorrência de ressacas entre Santos e Campos dos Goytacazes (RJ) entre a noite do último sábado (22) e esta segunda-feira (24). De acordo com o CHM (Centro de Hidrografia da Marinha), as ressacas são resultado de uma frente fria que atinge a região. A previsão é de que as ondas podem atingir até 3,5 m de altura.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.