Descrição de chapéu Rio de Janeiro

'Fui infeliz', diz Crivella sobre culpar a população pelas enchentes no Rio

Prefeito deu a declaração em sua conta em uma rede social em resposta à crítica do deputado federal Marcelo Freixo (Psol)

Rio de Janeiro

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos), afirmou nesta terça-feira (3) que foi infeliz ao culpar grande parte da população pelas enchentes que atingiram principalmente a zona oeste da cidade.

A declaração foi dada em sua conta no Twitter em resposta a uma crítica do deputado federal Marcelo Freixo (Psol), que pretende disputar neste ano o cargo contra Crivella.

"Com respeito a por a culpa na população, isso você tem razão, fui infeliz quando disse que há uma grande maioria jogando lixo nas encostas, beira de rio e bueiros. Isso deu margem a interpretações diferentes da minha intenção. Perfeito só o Psol, né Freixo?!", escreveu o prefeito.

O deputado criticava a redução nos gastos com controle de enchentes e contenção de encostas, o que foi refutado por Crivella.

"Em vez de assumir a sua responsabilidade o prefeito continua culpando as vítimas das chuvas", escreveu Freixo.

A discussão gira em torno de declarações dadas no domingo (1º) e na segunda-feira (2) pelo prefeito.

No domingo, ele afirmou que algumas pessoas preferem morar irregularmente perto de canais "para gastar menos tubo e colocar cocô e xixi e ficar livre daquilo".

Seis casas desabam no Jardim América, no Rio - Reprodução/TV Globo

No dia seguinte, declarou que "a culpa é de grande parte da população que joga lixo nos rios correntemente".

Antes de considerar a declaração infeliz, o prefeito optou por reclamar da imprensa ao relatar suas falas.

"Mais uma vez a CBN, a Rede Globo, porque não quero dar dinheiro para eles, fica deturpando aquilo que a gente fala."

Três pessoas morreram na capital em decorrência das chuvas que atingiram a cidade desde a noite de sábado (29).

Apesar do recuo, o prefeito disse que, "infelizmente há uma parcela que joga lixo em local inadequado, o que causa transtorno para [a] maioria".

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.