'Às vezes os meios de comunicação são sórdidos', diz Mandetta sobre cobertura do coronavírus

O ministro da Saúde falou com jornalistas na tarde deste sábado (28)

Brasília

Em entrevista com jornalistas na tarde deste sábado (28) o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, criticou a imprensa.

"Desliguem um pouco a televisão. Às vezes ela é tóxica demais. Há quantidade de informações e, às vezes, os meios de comunicação são sórdidos porque ele só vendem se a matéria for ruim. Publicam o óbito, nunca vai ter que as pessoas estão sorrindo na rua. Senão, ninguém compra o jornal", disse.

Ele pediu uma cobertura mais proativa da imprensa. "Todo mundo tem que se preparar, inclusive a imprensa. Se não for assim, vai trazer mais estresse à população."

O número de mortes pelo novo coronavírus no Brasil subiu para 114 neste sábado (28), segundo dados do Ministério da Saúde. Até sexta-feira (27), eram 92 mortes.

O país registra 3.904 casos neste sábado (28) —com relação aos casos confirmados, a mortalidade da doença é de 2,9% no país. O número de registros representa um salto de 14,25% com relação à quinta-feira, quando eram 3.417 casos.

No mundo, são 30 mil mortes.​

Em nota, a A Associação Nacional de Jornais (ANJ) avalia a declaração de Mandetta como injusta e equivocada e lembra o importante papel da imprensa na divulgação de orientações e no combate à desinformação, realizado muitas vezes junto ao Ministério da Saúde.

Além disso, a ANJ reforça que da mesma forma que um erro médico "não pode ser atribuído à “medicina”, o mesmo ocorre com os jornais", que também estão na linha de frente neste momento difícil.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.