Descrição de chapéu Obituário Nadir Mercedes Tiveron (1930 - 2020)

Mortes: Propagou o amor, a amizade e a união através da dança

Nadir Mercedes Tiveron era professora de danças circulares

São Paulo

Alegria estampada no sorriso, nos olhos azuis, nas roupas e nos adereços. Eis o retrato da professora Nadir Mercedes Tiveron, que adotou as danças circulares e étnicas para também celebrar a união, a comunhão e o amor através da expressão artística.

Nadir cruzou o caminho da também professora de danças circulares Renata Carvalho Lima Ramos, 71, em 1995.

Ambas foram apresentadas por uma amiga em comum, Gláucia Rodrigues, e começaram a dançar juntas.

Nadir Mercedes Tiveron (1930-2020)
Nadir Mercedes Tiveron (1930-2020) - Arquivo pessoal

Durante anos, as amigas se uniam a um grupo de estudos sobre o assunto toda terça-feira. No início dos anos 2000, Nadir viajou com Renata para Findhorn, uma ecovila no Norte da Escócia, por onde passou o bailarino Bernhard Wosien ao difundir este tipo de dança (1976).

“Ela era muito alegre, sociável, gentil e humilde. Não imaginou que seria tão querida pela rede brasileira de danças circulares. Nadir também era sábia, honesta, verdadeira e generosa”, diz Renata.

Seus conhecimentos foram reproduzidos em um dos capítulos do livro “Danças Circulares Sagradas - Uma Proposta de Educação e Cura”, lançado em 1998, pela editora Triom, da amiga Renata. Também com ela, até antes da pandemia de Covid-19, participava da vivência em Dança Circular no Parque Trianon (zona sul) no terceiro domingo de cada mês.

Nadir tinha paixão por viajar e aproveitou para unir o gosto pessoal à oportunidade de aprimorar as técnicas das danças étnicas e circulares. Fez cursos nos EUA e na Grécia, entre outros países.

A vida lhe deu alguns percalços, superados com a fé no espiritismo. Enfrentou o câncer duas vezes, além de um problema no fêmur.

“A Nadir imprimiu na família das danças circulares a imagem de uma guerreira, que ultrapassa seus limites”, afirma Renata.

Nadir morreu dia 13 de outubro, aos 89 anos, de Covid-19. Solteira, deixa duas sobrinhas.

coluna.obituario@grupofolha.com.br

Veja os anúncios de mortes

Veja os anúncios de missa

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.