Técnico de elite da ginástica brasileira já foi alvo de acusação

Fernando de Carvalho foi desligado pela Confederação Brasileira de Ginástica

Técnico Fernando de Carvalho Lopes cruza os braços durante etapa de São Paulo da Copa do Mundo de ginástica
Técnico Fernando de Carvalho Lopes durante etapa de São Paulo da Copa do Mundo de ginástica - Ricardo Bufolin/CBG/Divulgação
Edoardo Ghirotto
São Paulo

A ginástica brasileira já foi alvo de denúncia de abuso sexual. Em julho de 2016, a menos de um mês da Olimpíada do Rio, a CBG (Confederação Brasileira de Ginástica) desligou o técnico Fernando de Carvalho Lopes, então treinador do ginasta Diego Hypolito na seleção brasileira masculina de ginástica artística.

A medida foi tomada após Lopes ser acusado de abuso sexual pelos pais de um ginasta menor de idade que havia trabalhado com ele em São Bernardo do Campo.

Segundo a denúncia, o técnico teria cometido mais de um abuso contra o jovem. Na ocasião, Lopes negou a acusação e disse estar com a consciência tranquila.

O caso tramita em segredo de Justiça. À Folha, Lopes afirmou que não faria comentários até receber o aval do advogado. Ele declarou que seu defensor pediu para ter o nome mantido em sigilo.

Lopes também havia sido afastado do clube ADC de São Bernardo do Campo. A secretaria de Esportes e Lazer da cidade disse que encerrou o vínculo do técnico assim que a atual gestão tomou posse, em janeiro de 2017.

Hoje, ele coordena modalidades no Clube de Campo Mesc. Lopes trabalha há mais de 15 anos na agremiação, que não quis se manifestar.

A CBG diz que esse foi o único precedente, supostamente e em tese envolvendo abuso contra ginastas no país.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.