Paulistas tropeçam e agora torcem contra o Internacional

São Paulo e Palmeiras empatam e podem ver time gaúcho abrir vantagem

Arboleda (dir.), do São Paulo, disputa bola com Carlos Sanchez, do Santos, durante jogo do Brasileiro na Vila Belmiro - Paulo Whitaker/Reuters
Santos

O São Paulo deixou a Vila Belmiro neste domingo (16) valorizando o empate em 0 a 0 no clássico contra o Santos, pelo Campeonato Brasileiro. O resultado, porém, pode custar caro para o time tricolor.

Mesmo conquistando a liderança momentânea, com 50 pontos, os paulistas deixaram espaço para o Internacional, que tem 49 e enfrenta a Chapecoense nesta segunda (17), em Chapecó, tomar a liderança e abrir vantagem.

"Queremos ser protagonistas, mas é [preciso] ter calma. Começou o segundo turno. Não estamos bem, mas hoje dou valor a um ponto conquistado", disse o técnico são-paulino Diego Aguirre.

Se vencerem, os gaúchos abrem dois pontos de vantagem para o São Paulo e cinco para o Palmeiras, que tinha a pretensão de se aproximar dos líderes, mas apenas empatou em 1 a 1 com o Bahia neste domingo, ficando com 47 pontos.

Nas últimas duas rodadas, São Paulo e Internacional se mantiveram empatados, com a mesma pontuação.

Apesar da condição ainda segura na tabela, a maior preocupação de Aguirre é conter a queda no desempenho da equipe dentro de campo.

A volta do quarteto formado por Reinaldo, Éverton, Nenê e Diego Souza para o clássico soava como uma certeza de que o São Paulo voltaria a apresentar um bom futebol.

O time porém não mostrou quase nenhuma inspiração ofensiva e viu uma espécie de apagão técnico de seus principais jogadores. Diego Souza, por exemplo, não finalizou a gol, enquanto o meia Nenê sucumbiu à marcação do volante Alison.

O Santos dominou quase que completamente o primeiro tempo. Sufocou o rival com 60% de posse de bola e sete finalizações, contra somente uma tentativa são-paulina, sem perigo, de Reinaldo. 

A principal motivação era ter Éverton de volta, recuperado do estiramento na coxa esquerda que o afastou dos últimos jogos. O camisa 22, contudo, pouco produziu e saiu ainda no fim do primeiro tempo machucado.

"Em princípio parece que não é uma coisa importante. Por precaução pediu para sair. Vão fazer exames, mas aparentemente não é uma volta da lesão", tranquilizou Aguirre após o confronto.

O Santos também se complicou com o resultado. A equipe remodelada por Cuca chegou ao oitavo jogo consecutivo sem tomar gols, mas viu o sonho de chegar ao grupo de classificados para a Libertadores se distanciar.

O time (com um jogo a menos) soma 32 pontos e está a 10 do Atlético-MG, o sexto.

Felipe Melo (dir.), do Palmeiras, domina a bola observado por Zé Rafael, do Bahia - Cesar Greco/Ag.Palmeiras

FELIPE MELO MARCA, E PALMEIRAS EMPATA COM O BAHIA

Mas, não é só o São Paulo que olha com dúvidas para o futuro. A ascensão palmeirense, iniciada com a chegada de Luiz Felipe Scolari, também pode estar ameaçada.

Após uma guinada que o levou a condição de postulante ao título, a equipe empatou em 1 a 1 com o Bahia fora de casa, sofreu o segundo tropeço consecutivo --perdeu na última quarta (12) em casa para o Cruzeiro, pela Copa do Brasil-- e começa a lutar contra a "maratona" de disputar de três competições simultaneamente.

"Não entramos no nosso nível, mas ajustamos logo isso. Foi um jogo razoável para bom. Dentro do que a gente tem planejado em todas as competições são 24 pontos conquistados de um total de 30 nos últimos dez jogos, então é um bom saldo", disse o auxiliar técnico Paulo Turra, responsável por comandar a equipe neste domingo --expulso na última rodada, Felipão estava suspenso.

Pensando em poupar o elenco para o jogo de ida das quartas de final da Libertadores, contra o Colo-Colo, na próxima quinta-feira (20), o Palmeiras entrou em campo com um time cheio de reservas. O goleiro Weverton, os volantes Felipe Melo e Bruno Henrique e o atacante Borja foram os únicos titulares que começaram jogando.

O time alternativo perdia por 1 a 0 até os 32 minutos do segundo tempo, quando Felipe Melo, que só atuou por estar suspenso para o jogo de ida contra a equipe chilena, marcou de cabeça.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.