Marta, Rivaldo e Kaká lamentam morte do técnico Vadão

Melhores do mundo, os três trabalharam com o treinador, que morreu aos 63 anos

São Paulo

A morte do técnico Oswaldo Alvarez, o Vadão, mexeu com o futebol brasileiro nesta segunda-feira (25). Jogadores e clubes prestaram sua homenagem ao treinador, que morreu vítima de câncer no fígado aos 63 anos.

Entre os atletas que manifestaram seu luto estão Marta, Kaká e Rivaldo, três jogadores que foram comandados por ele e conquistaram prêmios de melhor do mundo.

A meia-atacante Marta, seis vezes eleita a melhor do planeta e que disputou uma Olimpíada e uma Copa do Mundo sob o comando do técnico, destacou a honestidade de Vadão e o aprendizado que teve com ele.

"Vá em paz professor. Sua missão nessa terra você cumpriu e com muito êxito. Desconheço qualquer ser humano igual, você soube viver a vida de maneira digna e honestamente, orgulho demais de ter vivido momentos maravilhosos ao seu lado e ter tido a oportunidade de aprender muito. Obrigada por tudo e descanse em paz", escreveu a jogadora do Orlando Pride, que também publicou a mensagem em inglês, no seu perfil do Instagram.

Em entrevista à Folha em 2019, logo após sua demissão da seleção brasileira feminina, Vadão exaltou o profissionalismo de Marta e disse acreditar que a camisa 10 ainda jogaria mais um Mundial pelo Brasil.

No ano passado, com ele no comando, a equipe nacional caiu nas oitavas de final da Copa do Mundo após derrota para a França, anfitriã do torneio.

Quem também prestou sua homenagem nesta segunda-feira foi o ex-jogador Rivaldo, que trabalhou com Oswaldo Alvarez ainda no início de carreira, no Mogi Mirim.

Sua passagem pela equipe do interior paulista no início da década de 1990 marcou o primeiro trabalho de destaque de Vadão como técnico. Com o ataque formado por Rivaldo, Leto e Válber, o time de Mogi ficou conhecido como "Carrossel Caipira", pela inspiração do treinador no estilo da Holanda de 1974.

Rivaldo conquistou o prêmio de melhor do mundo em 1999, quando atuava pelo Barcelona.

"O futebol brasileiro perde um grande profissional e grande homem que me ajudou muito no início da minha carreira. Eu aprendi bastante com ele. Que Deus conforte os familiares neste momento tão difícil", postou Rivaldo no Instagram.

Último brasileiro eleito o melhor do mundo, Kaká iniciou sua carreira na equipe profissional do São Paulo graças a Vadão, que resolveu dar uma oportunidade ao então jovem jogador, ainda chamado de Cacá, com "C", formado nas categorias de base do clube do Morumbi.

Com atuações decisivas do meio-campista, o técnico conquistou o Rio-São Paulo de 2001 com o time tricolor, diante do Botafogo, uma de suas principais conquistas na carreira.

Kaká levou o prêmio de melhor jogador do planeta em 2007, quando vestia a camisa do Milan. Ele e Rivaldo conquistaram, juntos, a Copa do Mundo de 2002 com a seleção brasileira.

"Minha eterna gratidão por você ter aberto as portas pra um garoto que ninguém conhecia e poucos acreditavam. Mas você acreditou, me ensinou, me deu oportunidades pra que eu pudesse voar. Hoje o dia é de muita tristeza, mas as lembranças que guardo no meu coração são de muitas alegrias! Descanse em paz meu amigo", publicou Kaká, também no Instagram.

Ponte Preta, Guarani, Corinthians, São Paulo e Athletico-PR, clubes em que Vadão trabalhou, além de jogadoras da seleção brasileira que foram comandadas pelo treinador, como Cristiane e Tamires, também prestaram suas manifestações de luto e carinho pelo técnico.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.