Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
18/07/2005 - 06h40

Contrato com os Correios garantiu crédito em empréstimo a Valério

Publicidade

da Folha Online

Para conseguir um empréstimo de R$ 15,9 milhões do BMG (Banco de Minas Gerais), o empresário Marcos Valério, apontado pelo deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ) como operador do suposto esquema do "mensalão", apresentou como garantia um recém-fechado contrato com os Correios. O destino do dinheiro era o PT, de acordo com reportagem publicada nesta segunda-feira pela Folha de S.Paulo.

Valério teria pedido o empréstimo para repassar o dinheiro ao PT, em acordo com o então tesoureiro do partido, Delúbio Soares. Na semana passada, em depoimentos, tanto Valério como Delúbio confirmaram que essa era uma forma de caixa dois do PT.

O empréstimo foi concedido pelo BMG à Graffiti Participações em 27 de janeiro de 2004. No mesmo dia, o dinheiro entrou e saiu da conta da Graffiti no BMG para o Banco Rural, que é apontado por Jefferson como o banco onde os saques do suposto "mensalão" eram feitos.

Como garantia para o empréstimo, Valério apresentou o contrato que os Correios haviam fechado, dois meses antes, com a SMPB Comunicação, da qual é sócio.

O publicitário mineiro figurou como sócio da Graffiti por pouco mais de sete meses, alguns anos antes da data de liberação do empréstimo do BMG. A maioria do capital pertence a sua mulher, Renilda. A Graffiti detém participação da DNA Propaganda, a outra agência de publicidade de Valério, e funciona no mesmo endereço da SMPB.

A reportagem informa também que o empréstimo ainda não foi pago. Segundo informações sigilosas analisadas pela CPI dos Correios, a dívida já teria alcançado R$ 21 milhões.

Leia mais
  • Entenda o "mensalão"
  • Entenda a ligação entre Marcos Valério e as denúncias de Jefferson

    Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre Marcos Valério
  • Leia a cobertura completa sobre o "mensalão"
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página